placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
29
jul
2014

Onde se hospedar em Vitória? (Atualizado em 07/2014)

Decidir onde se hospedar é o primeiro dilema que o turista tem após definir o local da sua viagem. Vários fatores podem pesar na hora da escolha a depender do tipo de viagem a ser feita: localização do hotel, conforto dos quartos, serviços disponíveis, facilidade de acesso a meios de transporte, entre outros.

Mas uma coisa é certa.

Escolher bem a hospedagem é o pontapé inicial de uma viagem agradável e proveitosa porque, afinal de contas, é no quarto do hotel que o seu “cotidiano” turístico começa e termina.

Reserve seu hotel em Vitória usando o Booking.com

Para ajudar os turistas interessados em conhecer a capital do Espírito Santo, resolvi fazer um resumo do que Vitória tem para lhe oferecer em termos de hospedagem. Aqui, como em qualquer outra grande cidade, há várias opções de hotéis das grandes redes – como Accor, Bristol, Atlantica etc – que se apresentam como curingas, tanto pela localização, quanto pela previsibilidade do padrão de conforto. Mas existem também hotéis “locais” que podem te surpreender pelo luxo ou pelo valor da tarifa. Por isso é bom pensar bem antes de decidir.

Nesse post, vou fazer um breve resumo das melhores opções de hotéis que nós temos em cada região da cidade, destacando as vantagens e desvantagens do local.

(Se estiver vindo a lazer para Vitória, não deixe de ler o nosso post com sugestão de passeios para 3 dias na capital)

18
jul
2014

Santa Teresa: onde comer?

A gastronomia de Santa Teresa foi mais uma grata surpresa pra mim. Confesso que não esperava encontrar tantas e tão boas opções de restaurantes e cafés numa cidadezinha tão fora do mainstream turístico do nosso Estado. Contrariando a minha impressão inicial, nós comemos muito bem por lá.

A seguir eu listo os estabelecimentos que eu visitei e que eu recomendo a visita.

Mapa Restaurantes Santa Teresa

Fabrício Bar e Restaurante (A)

Fabricio Bar e Restaurante

Quem me deu ótimas referências do Fabrício foi a Elaine Castro, do blog Viagem Massa. Ela falou maravilhas sobre ele nesse post. A gente seguiu a dica logo no primeiro dia da viagem, aproveitando a localização estratégica do restaurante (ele fica bem no meio da Rua do Lazer). E passamos a concordar em gênero, número e grau com os elogios da Elaine.

Até hoje a Renata lembra – com água na boca – desse Bife à Parmegiana (o mesmo que a Elaine pediu):

Fabricio Bar e Restaurante

O meu risoto também deixou saudade:

Fabricio Bar e Restaurante

O Fabrício está situado num imóvel antigo bem pertinho da Igreja Matriz. Suas mesas e ombreleones à beira da calçada são um convite a ver o tempo passar.

Fabricio Bar e Restaurante

Endereço: R. Coronel Bonfim (Rua do Lazer), 43, Centro, Santa Teresa – ES

Funcionamento: Quarta a Sexta, de 11:00 às 14:00 e 19:00 às 00:00; Sábado, de 12:00 às 16:30 e 19:00 às 01:00; Domingo, de 12:00 às 16:30

Telefone: (27) 3259-1821

Casa Amorim Bar e Restaurante (B)

Casa Amorim

Também na Rua do Lazer, bem ao lado da Igreja Matriz, está outro restaurante bem conhecido da cidade, o Casa Amorim. Mas, apesar do ambiente agradável, a gente não foi muito feliz na escolha dos pratos.

O carro-chefe do restaurante parece ser comida caseira e de boteco. Há muitas opções de petiscos para um happy hour e, em alguns dias, há música ao vivo. Mas a nossa visita aconteceu na noite do nosso penúltimo dia da viagem e, a essa altura, a vontade de experimentar a gastronomia italiana da cidade mais italiana do Estado falou mais alto.

Fomos de massa e nos decepcionamos. A minha lasanha e o spaggheti da Renata não agradaram.

Casa Amorim

No último dia da viagem (segunda-feira), o Casa Amorim era o único restaurante aberto na hora do almoço. Retornamos, mas preferimos não arriscar. Fomos de bife à cavalo:

Casa Amorim

O imóvel da Casa Amorim é do início do século XX e compõe o conjunto de casarios antigos da Rua do Lazer.

Endereço: Av. Coronel Bonfim (Rua do Lazer), 287, Santa Teresa – ES

Funcionamento: Terça a Domingo, a partir das 10h

Telefone: 027 99733-5939

Café Zanoni (C)

k

Situado numa esquina da famosa Rua do Lazer, o Café Zanoni ocupa um imóvel tombado, construído em 1876. O piso e o armário originais foram preservados. Na parede, fotos antigas contam a história da família que dá nome ao café.

Café Zanoni

A placa atrás do balcão mostra que, a depender da forma como se pede, o cafezinho pode ter 3 preços: “1 caffé”, R$4,00; “1 caffé per favore”, R$3,00; e “Buon Giorno, 1 caffé per favore”, R$2,75. A boa educação é valorizada.

Café Zanoni

Na vitrine destaque para os quindins e tortas.

Café Zanoni

Café Zanoni

À noite os lanches dividem espaço com chopps e petiscos.

Endereço: Rua Coronel Avancini (esquina com a Rua do Lazer), 75, Centro, Santa Teresa

Funcionamento: Segunda a domingo, de 12:00 às 00:00

Telefone: (27) 9 9857 3558

Trentino Café (D)

Trentino Café

Trentino Café

A localização não poderia ser mais apropriada. A cafeteria Trentino fica bem em frente à Praça Augusto Ruschi, um lugar que praticamente te convida a um café.

Trentino Café

E ali na Trentino o café é levado bem a sério. Eles controlam todo o ciclo de produção do pó que é servido no local: do cultivo na fazenda à torrefação e moagem. Isso garante uma bebida com sabor diferenciado.

Trentino Café

Para acompanhar o café, sanduíches, bolos e tortas salgadas ou doces.

Trentino Café

Endereço: Praça Augusto Ruschi, 34, Centro, Santa Teresa

Funcionamento: Terça a quinta, das 12:30 às 20:00; sexta e sábado, das 12:30 às 21:00; domingo, das 12:00 às 17:00

Telefone: (27) 3259-2331

Café Haus (E)

Café Haus

Na rua do Museu Mello Leitão fica o restaurante mais famoso da cidade, o Café Haus. Ali você vai conhecer o lado verdadeiramente gourmet de Santa Teresa.

Café Haus

O restaurante fica numa casinha decorada com bastante requinte.

Café Haus

A cozinha é comandada pela Chef Kamila Zamprogno, que oferece pratos da culinária italiana e alemã. O meu risoto de cogumelo Paris com filé mignon estava tão bonito quanto apetitoso:

Café Haus

O da Renata, de camarão, estava ainda melhor:

Café Haus

Aos fundos, uma adega fica à disposição dos clientes que preferem escolher o seu próprio vinho.

Café Haus

Tamanha personalidade tem seu preço, claro. Foi a refeição mais cara que fizemos na cidade.

Endereço: Av. José Ruschi, 287, Santa Teresa – ES

Funcionamento: Quinta e Domingo, de 11:00 às 16:00; Sexta, de 11:00 às 23:00; e Sábado, de 11:00 à 00:00

Telefone: (27) 3259-1329

Leia todos os posts sobre Santa Teresa aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

08
jul
2014

Santa Teresa: o que fazer? (mapa das atrações)

Casa dos Espumantes

Fomos a Santa Teresa durante um final de semana prolongado aqui em Vitória, aproveitando uma segunda-feira de feriado. Nesses 3 dias de passeio em família, eu tentei ao máximo visitar as principais atrações turísticas da cidade (seguindo o roteiro que o Murilo Vago, Secretário de Turismo do Município, me deu) para apresentar a vocês o que ela tem de melhor.

E o resultado dessa visita você vê nesse post.

Como eu já disse aqui, Santa Teresa é um lugar redondinho para um bate-volta a partir de Vitória. São só 80 km que a separam da nossa capital. Pincele 3 atrações dessa lista (incluindo o Museu Mello Leitão) e pronto! Você terá um aperitivo perfeito das nossas montanhas em um dia de passeio.

Mas a verdade é que, para quem tem o privilégio de morar pertinho desse tesouro, fazer de Santa Teresa um bate-volta é um baita pecado. A cidade tem tantas e tão boas atrações que vale a pena investir um final de semana para conhecê-la.

O difícil mesmo vai ser não querer voltar mais vezes. ;-)

Santa Teresa

As atrações a seguir estão indicadas por letras no mapa acima.

Centro Histórico (A)

Santa Teresa

O centro histórico de Santa Teresa tem inúmeros imóveis tombados do final do século XIX. Ele é bem pequenininho e pode ser percorrido facilmente a pé. Ali a memória da imigração italiana se faz viva.

Santa Teresa

A maioria das construções gravita em torno da famosa Rua do Lazer. A Igreja Matriz, que fica num elevado bem no início da rua, teve seus sinos doados por Dom Pedro II.

Praça Augusto Ruschi (B)

Santa Teresa

A praça mais famosa da cidade leva o nome do seu filho mais ilustre (sobre quem eu falei nesse post). Uma fonte, um coreto e muitas árvores e flores formam aquele cenário típico de uma cidadezinha do interior.

Santa Teresa

A praça fica a meio caminho entre a Rua do Lazer e o Museu Mello Leitão. É um ótimo lugar para descansar e ver a vida de Santa Teresa passar. ;-)

Museu de Biologia Prof. Mello Leitão (C)

Museu Mello Leitão

Pra mim, a atração máxima de Santa Teresa. Talvez o maior legado “material” de Augusto Ruschi. Tudo o que você precisa saber sobre o museu está nesse post.

Galeria do Artesanato (D)

Galeria do Artesanato

A Associação de Produtores de Artesanato de Santa Teresa (APROAST) reuniu num único lugar tudo o que é produzido na região, de vinho a bordados. Funciona todos os dias das 08h às 18h. Fica ao lado da Estação Rodoviária na saída para a Rodovia que liga Santa Teresa ao município de São Roque.

Casa do Lambert (E)

IMG_0032

Construída em 1875 pelos irmãos Antônio e Virgílio Lambert, é considerada a primeira casa de Santa Teresa. Hoje ela abriga um mini-museu que conta a história dos Lambert, um dos primeiros imigrantes italianos a se instalar no município.

Santa Teresa

Por isso mesmo, a história dos Lambert se confunde com a própria história da imigração italiana em Santa Teresa.

Casa Lambert

Bem em frente, a Capela de Nossa Senhora da Conceição abriga uma imagem da Santa esculpida em 1889 pelo próprio Antonio Lambert.

Cantina Mattiello (F)

Cantina Mattiello

Um bonito imóvel, que lembra uma autêntica cantina italiana, abriga a sede de uma das vinícolas mais famosas de Santa Teresa. Lá dentro você pode adquirir os vinhos e licores produzidos pela família Mattiello (mas eu bem que fiquei imaginando como seria legal um restaurante italiano ali).

Com um grupo de 10 pessoas você pode agendar uma visita com degustação de vinhos (Telefone: 27 3259-2062).

Circuito Caravaggio (G)

A Cachoeira do Country Club, no Parque São Lourenço

A Cachoeira do Country Club, no Parque São Lourenço

Aproveitando a beleza natural da Serra do Caravaggio, a cidade reuniu um portfólio de empreendimentos turísticos no chamado Circuito Caravaggio, que tem o seu auge na Rampa do Vôo Livre Amauri Fernandes.

Santa Teresa

O passeio até a rampa já vale só pela vista que se tem lá de cima, mas os mais aventureiros podem também contratar um vôo de parapente (contato e informações com Mizinho: 27 99848-6734).

Vinícola Tomazelli

Ainda no Circuito, você pode visitar: a) o Sítio Romanha, que vende artesanatos, vinhos e licores; b) a vinícola Tomazelli (foto acima), onde é possível visitar os parrerais (veja aqui); c) a Casa dos Espumantes, que fabrica o primeiro espumante capixaba; e d) a Cachaça Da Mata, uma das mais famosas do Estado.

Vale do Canaã (H)

Vale do Canaã

Distante 1 km do centro do município, seguindo pela Rodovia que liga Santa Teresa a São Roque, o mirante do Vale do Canaã apresenta o cenário que inspirou o romance “Canaã”, de Graça Aranha. Para quem não sabe, esse livro aborda a história da imigração alemã no Espírito Santo e tem como um de seus cenários o vale que dá nome ao livro, em Santa Teresa.

É um lugar para ser contemplado (pena que a luz do sol no horário da minha visita não contribuiu com a foto).

Claid’s Biscoitos (I)

Claid's Biscoitos

Quem é do Espírito Santo provavelmente já ouviu falar nos Biscoitos Claid’s de Santa Teresa (e quem é da Grande Vitória – mesmo que nunca tenha ido a Santa Teresa – provavelmente já comprou Biscoito Claid’s das mãos do Toninho!). Com mais de 20 anos de existência, ela produz os mais variados biscoitos, como os famosos casadinho, biscoitinho de nata e torta todesca.

A fábrica fica bem na entrada da cidade. Junto a ela foi construída uma grande loja para venda e degustação dos produtos (há outra lojinha bem no centro da cidade, na rua do Museu Mello Leitão).

Leia todos os posts sobre Santa Teresa aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

27
mai
2014

O Museu de Biologia Professor Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Não se preocupe. Eu ainda vou fazer um resumo das principais atrações turísticas de Santa Teresa aqui no Rotas pra facilitar a sua visita. Mas, antes disso, eu preciso fazer um post específico pra falar sobre a principal atração turística da cidade: o Museu de Biologia Professor Mello Leitão.

O Museu Mello Leitão está localizado bem no centro da cidade, na área da antiga Chácara Anita da família Ruschi. Ele foi criado em 1949 pelo próprio Augusto Ruschi para dar suporte ao seu trabalho de pesquisa. Dois anos antes de sua morte, em 1984, ele doou a área para o Governo Federal, que hoje o administra através do Instituto Brasileiro de Museus.

Museu Mello Leitão

Quem vê de fora nem imagina que por trás daquele muro se estende uma área verde de mais de 77.000 metros quadrados totalmente preservada.

Santa Teresa

Basta entrar para se sentir numa floresta viva. Os caminhos são emoldurados por árvores e flores de tudo quanto é tipo e cor.

Museu Mello Leitão

Tem até um córrego que corta a área do museu praticamente ao meio.

Museu Mello Leitão

É um cenário mais lindo que o outro.

Museu Mello Leitão

Santa Teresa

O principal objetivo do Mello Leitão é inventariar e proteger a biodiversidade da Mata Atlântica da região. Por isso lá dentro existem alguns espaços dedicados a determinadas espécies da flora e fauna nativas, o que o torna um pequeno zoológico.

Seguindo pelo caminho à direita da entrada principal, você encontra um viveiro enorme com dezenas de espécies de aves em processo de readaptação que entoam uma cantoria incessante.

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Mais à frente, tem um espaço com cobras, sagüis e araras vermelhas.

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

E, por fim, uma área com tartarugas.

Museu Mello Leitão

Não preciso nem dizer que a Maria pirou com esses “bichinhos”, né? ;-)

Museu Mello Leitão

Dá pra se ter uma pequena idéia da grande biodiversidade da região no Pavilhão de Ornitologia, onde estão expostos centenas de animais taxidermizados (“empalhados”).

Museu Mello Leitão

Mas saiba que o que há ali é só uma pequena amostra dos mais de 10.000 animais que integram a coleção do museu, iniciada na década de 30 pelo próprio Augusto Ruschi.

Museu Mello Leitão

No quesito “flora”, o Museu conta com um orquidário – que estava fechado durante a minha visita –, a casa das epífitas e o jardim rupestre. Construído em 1940, o estande das orquídeas foi a primeira obra de Ruschi dedicada ao Museu. O chão reproduz a flor de uma orquídea.

Museu Mello Leitão

Como o próprio nome já diz, a casa das epífitas apresenta plantas que utilizam outros vegetais como suporte, sem parasitá-los e sem entrar em contato com o solo. São orquídeas, bromélias, cáctus e samambaias que, infelizmente, a gente só conhece por fora.

Museu Mello Leitão

Por fim, o jardim rupestre foi criado para abrigar uma vegetação típica de ambientes rochosos, que atraem certos tipos de colibris.

Pausa agora pra falar deles: os colibris.

Augusto Ruschi

Eu já contei nesse post a relação de amor que Augusto Ruschi tinha por essas aves e como ele contribuiu para o seu estudo e preservação. Foi Ruschi que revelou ao mundo que a maior concentração de beija-flores do planeta está em Santa Teresa. E sem o seu trabalho e luta, toda essa diversidade talvez não existisse até hoje.

O museu é hoje o atual depositário dos estudos e coleções científicas de Ruschi sobre os colibris. Mais do que isso, o museu é hoje o lugar onde a gente vive o amor de Ruschi pelos colibris.

Eu falo isso por causa desse lugar:

Museu Mello Leitão

Esse lugar aí é conhecido comumente como “varanda dos colibris”. Não preciso nem explicar o porquê do nome.

Santa Teresa

A “varanda dos colibris” está situada na antiga residência da família Ruschi. Dentro dela funciona atualmente a administração e a biblioteca do Museu.

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Mas é do lado de fora que ocorre um dos maiores espetáculos que eu já assisti.

Museu Mello Leitão

Santa Teresa

Se você ainda não se deu conta, eu explico. São dezenas de beija-flores voando esquizofrenicamente para bebericar a água com açúcar dos potinhos afixados no teto. Nem a presença dos visitantes os afasta. Depois de alguns segundos de acomodação, eles passam a dar rasantes nos nossos ouvidos para voar de um potinho ao outro.

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Não sei se a impressão é geral, mas para mim a cena foi mágica. Daquelas que causam torpor e nos faz querer bis.

Museu Mello Leitão

Museu Mello Leitão

Nós, pelo menos, quisemos e tivemos o nosso bis. Nós voltamos ao museu no dia seguinte só para contemplar a cena por mais alguns instantes. E nesse segundo momento de contemplação, eu imaginei Augusto Ruschi e agradeci. Agradeci por sua vida, por seu legado e, principalmente, por sua varanda.

Museu Mello Leitão

O que eu vi lá está congelado até hoje na minha memória.

Informações úteis:

Museu de Biologia Professor Mello Leitão

Endereço: Av. José Ruschi, Nº 4, Santa Teresa – ES, Cep: 29.650-000.

Telefones: (27) 3259-1182 / 3259-1696 / 3259-2100

Horário de funcionamento: terça a domingo, de 08:00 às 17:00.

Entrada gratuita

Leia todos os posts sobre Santa Teresa aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

16
mai
2014

Para entender (e amar!) Santa Teresa

Santa Teresa

Eu não me surpreenderia se você, leitor do Rotas, que não mora no Espírito Santo, me dissesse que nunca ouviu falar de Santa Teresa. E nem que você, leitor do Rotas, que mora no Espírito Santo, me dissesse que nunca foi a Santa Teresa. A cidadezinha é bem pequena e – até agora – se mantem fora do mainstream turístico do nosso Estado. Digamos que o conceito “tipo exportação” das montanhas capixabas acaba reduzindo essa região à clássica dobradinha Domingos Martins (Pedra Azul) X Venda Nova do Imigrante, que tem logística de acesso bem mais facilitada, principalmente para os mineiros que trafegam na BR 262. E isso faz com que até nós, moradores do Espírito Santo, subestimemos o potencial turístico de outras cidades vizinhas.

Eu mesmo só fui “conhecer” Santa Teresa – turisticamente falando – nesse último feriado. Até então, eu havia passado ileso pelas atrações do município nas únicas duas vezes que estive por lá. E não foi por falta de oportunidade, não. Foi desinteresse mesmo. Por alguma razão, eu nunca prestei muita atenção em Santa Teresa apesar de tudo o que ela tem pra nos mostrar.

E eu não me perdoo por isso.

Santa Teresa

Não me perdôo porque, definitivamente, Santa Teresa tem tudo o que me agrada numa cidade: tem história e patrimônio histórico, tem museu, tem beleza cênica, tem natureza exuberante, tem clima ameno, tem uma ótima gastronomia, tem agroturismo, tem artesanato e tem uma intensa agenda de programação cultural ao longo do ano. Tem tudo isso com um povo extremamente simpático e acolhedor.

Por isso, eu te digo: se todas essas coisas também te agradam, tá na hora de você conhecer Santa Teresa.

Santa Teresa

Até porque conhecer Santa Teresa é super fácil. Ela está a apenas 80 km de Vitória, tornando viável, inclusive, um bate-volta a partir da capital. E que bate-volta!

Santa Teresa

O difícil vai ser não querer esticar. ;-)

Santa Teresa é mais uma “pequena” jóia que a imigração européia legou para o Espírito Santo. A fórmula foi mais ou menos a mesma de Venda Nova do Imigrante: famílias de imigrantes italianos originários da região da Lombardia vieram ao Brasil em busca de oportunidades e encontraram na antiga localidade de Timbuí, a 655 metros de altitude, um habitat perfeito para seus costumes e tradições. A data oficial da fundação do município é 26 de junho de 1875, quando as 60 famílias que ali chegaram foram contempladas com lotes para erguerem suas propriedades. Mas foi em 1891 que a vila oficialmente se emancipou, transformando-se na primeira cidade de colonização italiana do país.

Santa Teresa

Santa Teresa

Mais do que Venda Nova, Santa Teresa tem um quê de vila italiana (um “quê”, repito!). Talvez porque, ao contrário da primeira, ela conseguiu preservar boa parte do seu patrimônio histórico e do seu traçado original, que reproduziu aqui mais ou menos o mesmo conceito das cidades italianas.

As ruas, por exemplo, são sinuosas e estreitas, com imóveis construídos à beira da calçada sem nenhum recuo.

Santa Teresa

Santa Teresa

Além do mais, a cidade está encravada no meio de um vale, cercada por áreas verdes, montanhas e rios.

Santa Teresa

Santa Teresa

E para completar a estética urbana de “vila”, o centrinho de Santa Teresa - que é minúsculo - possui alguns imóveis tombados cuja construção remonta à época dos imigrantes – algo que falta em Venda Nova.

Santa Teresa

Não são muitos, é certo, e a maioria deles se localiza nos arredores da Rua Coronel Bonfim Junior, também conhecida como Rua do Lazer.

Santa Teresa

Agora junta tudo isso com as manifestações culturais herdadas dos imigrantes e pronto! Você tem aí uma filial capixaba da Itália. :-D

Foto: Vinicius Depizzol (CC BY-SA 2.0)

A Carretela del Vin durante a Festa do Imigrante Italiano (Foto: Vinicius Depizzol, CC BY-SA 2.0)

Carretela del Vin (Foto: Quality Produtora)

Carretela del Vin (Foto: Quality Produtora)

Mas não foi só o seu patrimônio histórico que Santa Teresa soube preservar. Num exemplo raro de desenvolvimento sustentável, Santa Teresa atravessou um século de crescimento preservando em seu território mais de 40% de sua cobertura florestal.

Santa Teresa

Grande parte disso se deve ao trabalho e à luta de Augusto Ruschi, “o primeiro grande mártir do movimento ecológico brasileiro”, que, como eu contei nesse post, é teresense.

Foi ele quem preservou a antiga propriedade da sua família no centro da cidade – com área total de 30.000 m2 – e a transformou num Museu de Biologia. Foi ele quem, nos anos 40 do século passado, lutou pela criação da antiga Reserva Biológica de Nova Lombardia, hoje nomeada Reserva Biológica Augusto Ruschi, uma área de preservação de quase 5.000 hectares. E foi também em sua homenagem que, em 1939, os diretores do Museu Nacional no Rio de Janeiro decidiram criar em Santa Teresa a Estação Biológica de Santa Lúcia, com quase 400 hectares de mata atlântica preservada.

Museu de Biologia Mello Leitão

Museu de Biologia Mello Leitão

Soma-se a isso a iniciativa da Prefeitura Municipal de criação, em 2004, do Parque Natural de São Lourenço – uma área de preservação de 265 hectares de mata atlântica de encosta –, além da contribuição de proprietários rurais na implantação de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN’s).

A Cachoeira do Country Club, no Parque São Lourenço

A Cachoeira do Country Club, no Parque São Lourenço

Pronto! Você tem uma cidade coberta de verde.

Santa Teresa

Não dá pra não se encantar com a exuberância da natureza de Santa Teresa. Na época em que nós fomos, por exemplo, as flores das Quaresmeiras e Quaresminhas coloriam de roxo a paisagem.

Foto: Paco Pomares (CC BY-NC-SA 2.0)

Foto: Paco Pomares (CC BY-NC-SA 2.0)

Sem falar nos colibris, que estão por toda parte. Eu poderia ficar horas assistindo ao balé dos colibris na varanda da casa onde morou Augusto Ruschi (sobre a qual eu falarei em outro post). São dezenas deles – ou centenas, dependendo da época do ano – se revezando para bebericar o doce daquelas garrafinhas penduradas no teto.

Santa Teresa

Uma coisa linda. Mágica. Que eu nunca vou me esquecer.

Mas aí eu lembro que isso ainda não é tudo. Como eu falei mais acima, Santa Teresa tem também ótimos restaurantes, tem artesanato, tem agroturismo e tem um monte de eventos culturais ao longo do ano – como o Festival Internacional de Jazz e Bossa – que tornam a visita ainda mais agradável. Mas isso vai ter que ficar para outros posts.

Santa Teresa

Por ora, eu tenho certeza que você já ficou tentado a conhecer Santa Teresa.

Leia todos os posts sobre Santa Teresa aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital