placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
02
jul
2010

Capela de Santa Luzia: a legítima

Nem tudo se perdeu – ou se desfigurou – na história da antiga Vila Nova de Vitória. A Capela de Santa Luzia está aí para lembrar os turistas da origem colonial da cidade. De todos os monumentos históricos do centro, ela é a única que sobrevive até hoje com suas características originais. Por isso o subtítulo deste post.

Apesar de sua importância simbólica, a história da capela é relativamente pobre. Foi construída em 1537 – antes mesmo da fundação da Vila de Vitória – por Duarte Lemos para atender os ofícios religiosos de sua fazenda, localizada na Ilha de Santo Antônio. No século XVIII chegou a abrigar uma Irmandade, a de Nossa Senhora dos Remédios. Funcionou até 1928, mas, atualmente, está desativada, aguardando o cumprimento da promessa de virar museu.

Erguida sobre uma pedra, a capela possui planta retangular. Seu interior é composto de nave, capela-mor e sacristia. O altar é todo em madeira, com detalhes em dourado. Na parte externa há apenas uma sineira e um frontão, sobre a porta principal, acrescido ao conjunto já no século XVIII.

Para se chegar à Capela basta descer a Rua José Marcelino, logo à esquerda da Catedral Metropolitana.

Comente via Facebook

comentários

3 respostas para “Capela de Santa Luzia: a legítima”

  1. Nina disse:

    ah, quanto mais coisas leio por aqui, mais quero voltar logo ao ES!

    Adoro Igreja antigas, são sempre cheias de significados. Na próxima viagem estarei aí!

    bj

  2. […] quase toda nas mãos da Igreja Católica, como eu comentei aqui. Não fosse a presença ofuscada da Capela de Santa Luzia, lá no Centro de Vitória, ninguém sequer acreditaria que essa capital moderna e espelhada foi […]

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital