placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
25
ago
2010

A pobreza fascinante da Ilha das Caieiras

O cais da Ilha das Caieiras

Não desanime com a falta de sinalização. Esse é um problema que você, leitor do “Rotas”, já sabe que Vitória tem. Vença a desinformação (o “Rotas” está aí para isso) e siga até a Ilha das Caieiras para conhecer uma das regiões mais fotogênicas da cidade.

Refúgio das famosas desfiadeiras de siri, a Ilha das Caieiras se destaca no mapa turístico de Vitória por aliar paisagens naturais belíssimas a uma forte tradição gastronômica. Ali você pode apreciar suculentas moquecas de peixe, de siri, de sururu, sirizada, mariscada, casquinha de siri e até a inconfundível torta capixaba, rodeado por um cenário que parece saído de algum portfolio fotográfico.

As fotos do jornalista capixaba Gabriel Lordêllo, por exemplo, são de cair o queixo:

Foto: Gabriel Lordêllo

Foto: Gabriel Lordêllo

Mas até que a minha não ficou tão feia assim (rs):

Com o Mestre Álvaro ao fundo

O apelo fotográfico da Ilha das Caieiras é potencializado pela exótica combinação do ecossistema de mangue com a simplicidade das habitações e pessoas que ocuparam desordenamente o lugar. Um amontoado de casinhas e pequenos prédios de alvenaria disputam espaço nas ruazinhas da “ilha”, sem qualquer preocupação arquitetônica ou estética.

Algumas chegam a avançar quase que totalmente sobre as águas do canal, formando verdadeiras palafitas.

Conjugando tudo isso com a desafetação própria das pessoas que ali habitam, você vai ver que há um cenário perfeito para ensaios a la Sebastião Salgado (coloca a foto em preto e branco para você ver!).

Hoje em dia, a “ilha” vive em relativa harmonia com o mangue do Lameirão (embora essa simbiose tenha sido conquistada a custa de muita degradação). Com a ajuda de projetos da Prefeitura de Vitória (veja o mais recente deles aqui) foi possível alcançar algum equilíbrio entre a preservação do meio ambiente e a extração dos recursos naturais que são usados pela população local como fonte de renda. A principal delas vem da catação de siri que, de tão intensa, virou o carro chefe da “ilha”.

Mais recentemente, a orla da Ilha das Caieiras foi cuidadosamente urbanizada, ganhando deck, quadra de esportes e até uma academia a céu aberto.

O calçadão urbanizado

Ao longo do calçadão, uma sucessão de pequenos restaurantes tenta atrair a atenção do cliente, valorizando o seu próprio peixe. O “Pirão da Ilha” e o “Caieiras” são os mais famosos, dividindo o espaço do atracadouro. Mas há também boas opções ao longo da Rua da Felicidade – como é chamada a principal via do bairro – como o “Teresão”, o “Beco do Siri” e o “Siri na Lata”, mantido pela Cooperativa das Desfiadeiras (falaremos sobre cada um deles em posts específicos).

Não escondo o meu fascínio pela Ilha das Caieiras. De todos os lugares de Vitória, a “ilha” é o que mais me comove por sua pobreza autêntica e criativa. Sim, porque a pobreza da Ilha das Caieiras é daquele tipo que encanta. Um tipo de pobreza que, como diria Ricardo Freire (Viaje na Viagem, Ed. Mandarim, p. 177), é “ancestral, estabelecida, depurada; uma pobreza fotogênica, cinematográfica, às vezes cecil-b.-de-milleana, outras vezes sebastião-salgada”.

Informações úteis:

Como chegar:

a) de onde você estiver, busque a Av. Maruípe, que começa no finalzinho da Reta da Penha;

b) na Av. Maruípe vire à direita na Rodovia Serafim Derenzi, após o Supermercado Central de Compras e antes do Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo (há um placa sinalizando para o “Mirante da Torre da TV”);

c) ande por mais ou menos 5,5km (é melhor marcar no painel do seu carro);

d) após avistar o Posto de Saúde da Prefeitura de Vitória do lado esquerdo da pista (uma construção bem colorida) fique atento às placas de sinalização do lado direito. Em algum momento você vai se deparar com uma placa pequenininha indicando o acesso à Ilha das Caieiras pela Rua da Liberdade;

e) vire à esquerda no final da Rua da Liberdade e siga reto até chegar ao calçadão da orla.

A Cooperativa das Desfiadeiras de Siri fica na Rua da Felicidade, nº 688, próximo à Escola Municipal de Ensino Fundamental Eliana Rodrigues. O telefone para contato é (27) 3233-7595.

Comente via Facebook

comentários

17 respostas para “A pobreza fascinante da Ilha das Caieiras”

  1. Gabi disse:

    Gente,

    o blog está demais!!! PARABÉNS!!!

    Nós, capixabas, não temos o hábito de conhecer os pontos turísticos do nosso estado, que é tão belo! Isso é um enorme defeito!

    Mas o blog está aí para nos incentivar a conhecer melhor a nossa terra!

    Continuem assim, os posts estão super interessantes!!!

    Abçs,

    Gabi Voss P. Valente.

  2. Christiani Voss disse:

    Realmente, vocês estão de parabéns!
    O que acho mais interessante, é que Tiago é o mineiro mais capixaba que conheço rsrs. tem carinho por essa terra que muito capixaba não valoriza.

    Christiani Voss

  3. Eduardo Altoé disse:

    Sua descrição totalmente imparcial sobre a Ilha, além de nos incentivar a conhecê-la também nos faz refletir sobre a situação encontrada naquela região.
    Parabéns por esse blog que nos move e comove cada vez mais.

  4. […] Para entreter os visitantes, música ao vivo, samba, congo e apresentação de teatro de rua. Sem falar, é claro, da paisagem fascinante, que você já conhece aqui pelo “Rotas” (clique aqui). […]

  5. […] A pobreza fascinante da Ilha das Caieiras agosto, 2010 4 comentários” […]

  6. Celio L. Franco disse:

    Como eu faço para comprar a verdadeira carne de siri via postal, da cooperativa ou das desfiadeiras, tem um site ou e-mail? Se possível indicar o preço.

  7. Maria Alessandra Spinassé disse:

    Parabéns pelo post e pelo blog! Está cada vez mais lindo e interessante.
    Suas fotos ficaram maravilhosas!

  8. […] cenário de Jesus de Nazaré tem um quê de Ilha das Caieiras. Os dois bairros se formaram por uma comunidade que viveu – ou vive – praticamente em […]

  9. MARCELO ALVES ROSA disse:

    EU MARCELO GOSTARIA MUITO DE QUE UM DIA O MEU ESTADO SEJA DIVULGADO POR TODO OS ESTADOS BRASILEIRO PORQUE SO FALA DE RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO ESSE ESTADO MARAVILHOSO QUE É ESPIRITO SANTO …

  10. MARCELO ALVES ROSA disse:

    MOSTRA A NOSSA COMIDA TIPICA A NOSSA CULTURA A NOSSA ALEGRIA A NOSSA RAZÃO DE VIVER QUE É O ESPIRITO SANTO…

  11. jaqueline soares disse:

    Moro aqui e acho linda essa paisagem.
    Perfeita.
    Parabéns…….

  12. […] exceção da Ilha das Caieiras (sobre a qual eu já falei aqui), os locais escolhidos mostram que o programa não tem um propósito, por assim dizer, turístico. […]

  13. Karen disse:

    E quem está vindo pela segunda ponte?

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital