placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
17
set
2010

Série especial Itaúnas (1)

A Igrejinha da praça central de Itaúnas

Chega de papo furado e vamos ao que realmente interessa: Itaúnas. Está mais do que na hora de te convencer a colocar de vez essa vilazinha na sua wish list capixaba.

Politicamente, Itaúnas pertence ao município de Conceição da Barra, no norte do Espírito Santo. Mas, “turisticamente”, Itaúnas é autônoma, independente e totalmente destacada da Barra. Itaúnas tem um estilo que é só seu e de mais ninguém por aqui: ela é pacata, tranqüila, rústica, despreocupada, alternativa e simples, muuuuito simples. Ok, vá lá… o simples de Itaúnas nem se compara ao de Caraíva na Bahia, onde até pouco tempo atrás faltava luz. Mas não há outro adjetivo que um urbanóide como eu poderia usar para qualificar uma vilazinha com ruas de terra que não tem posto de gasolina, caixa 24 horas e nem agência bancária. Mesmo assim eu retifico: a simplicidade de Itaúnas não chega a brigar com o IDH da ONU.

Dois fatores tornaram Itaúnas conhecida nacionalmente.

O primeiro deles são as dunas. Itaúnas não seria nada sem as dunas. Foram elas que trouxeram um olhar de compaixão sobre o lugar depois que resolveram se rebelar contra a devastação ambiental provocada pelo homem. Foram elas também que, depois dessa tragédia, compensaram os habitantes da vila com um fenômeno natural inédito na costa do Espírito Santo. E, ao fim e ao cabo, são elas as responsáveis pelo que Itaúnas tem de mais Itaúnas: elas próprias, as dunas.

“Pause” para explicar o tom trágico do meu comentário.

Durante a primeira metade do século XX, a cobertura vegetal da região de Itaúnas foi quase toda consumida pela exploração de madeira que sustentava seus habitantes. O que ninguém imaginava era que, sem a proteção das restingas, a ação do vento noroeste seria capaz de formar montes de areia móveis e que esses montes de areia móveis talvez pudessem soterrar tudo o que ali fora construído. A tragédia, no entanto, se fez: na década de 60, as dunas finalmente cobriram a vila instalada na margem esquerda do rio Itaúnas, obrigando a população local a se refugiar do outro lado da margem.

“Play” para não fugir do assunto.

A noite em Itaúnas é do forró

O segundo fator é o forró. Talvez você já tenha ouvido falar que Itaúnas é a capital brasileira do forró universitário. E é mesmo. Em algum momento do passado o cenário de subdesenvolvimento da vila casou-se perfeitamente com o clima alternativo de um ritmo que tomava conta dos universitários de classe média do sudeste. Não deu outra. Desde que chegou a Itaúnas, o forró se transformou em trilha sonora oficial da vila, apesar da recente investida do samba vinda do “Crepe Samba Kone”. Você vai ouvir forró em Itaúnas o ano inteiro no “Buraco do Tatu”. Mas em janeiro, fevereiro (durante o carnaval) e em julho, mês do Festival de Forró, o fole expande seus limites territoriais e se instala em duas outras casas especializadas no assunto: o “Bar do Forró” e a “Arena Casa de Show”, onde rola uma espécie de matinê (das 19:00 às 23:00).

Mas Itaúnas não é só forró e dunas. Itaúnas é sol, praia, rio, restinga, barquinho, bicicleta, cavalo, praça, igreja, grama, terra, comida caseira, moqueca capixaba, frutos do mar, música ambiente, música boa, silêncio, lua, luar, gente simples, educada, tranqüila e hospitaleira. Precisa de mais?

Não deixe de aproveitar Itaúnas! (continua)

Informações úteis:

Como chegar: de Vitória, siga pela BR 101 em direção à Conceição da Barra. São aproximadamente 250 km. Passando o município de São Mateus, ande por mais ou menos 15 km até o trevo que dá acesso à Rodovia ES 421, principal caminho de acesso a Conceição da Barra. Após 14 km, vire à esquerda na Rodovia ES 418. Siga por mais 5 km e, então, acesse a Rodovia ES 010, que te levará até a Vila de Itaúnas (nesse trecho a estrada não é asfaltada).

Há, ainda, um caminho alternativo em que você economiza 10 km no trajeto, mas nem tanto no relógio. Ao sair de São Mateus, vire à direita no trevo que dá acesso a Rodovia ES 422. Siga por 16 km até entrar no município de Conceição da Barra e pegue a Rua Principal. Após 1 km, acesse a Rodovia ES 421 até chegar à ES 010.

Leia mais sobre Itaúnas:

A Rota do Verde e das Águas

Réquiem de um litoral ou Manifesto pela valorização de Itaúnas

Comente via Facebook

comentários

8 respostas para “Série especial Itaúnas (1)”

  1. Saudades de Itaúnas…é um lugar escondido do Brasil, que todos deveriam conhecer.

    O passeio para o riozinho que faz divisa com a Bahia, é meu preferido!!!

    Até + !!!

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital