placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
12
out.
2010

Série Especial Itaúnas (6): Onde comer (praia)

De todas as praias da região de Itaúnas, a central é a que possui a melhor infra-estrutura de apoio ao banhista. Além de banheiros públicos ecológicos (veja aqui), você tem cinco opções de barracas para comer e beber entre um mergulho e outro no mar.

O problema é que as exigências da administração do parque de padronização do espaço físico e de limitação dos serviços oferecidos (utilização de energia solar, redução do cardápio de modo a reduzir o lixo produzido, proibição de música ao vivo e interrupção dos serviços às 18:00h) levaram a uma certa homogeneidade na concorrência: não há nenhuma barraca que se destaque pelo visual ou pelo cardápio. Todas parecem não se importar em ser o destino de uma escolha totalmente aleatória do turista, o que acaba favorecendo o movimento das barracas “centrais” (não é por acaso que as barracas da extremidade sofram um constante abre-fecha).

Em nossa viagem a Itáunas no último feriado da independência, visitamos cada uma das barracas que atualmente funcionam na orla da praia central. Como não há diferenças substanciais na variedade do cardápio ou no ambiente das barracas, vamos apenas apresentar os preços que estavam sendo praticados para que você possa ter algum elemento de comparação entre elas (na alta temporada, considere pagar entre 20% a 30% a mais pelos produtos). Infelizmente, não tivemos a oportunidade de experimentar todos os pratos em todas as barracas… rs

Descendo as dunas em direção ao mar, a ordem das barracas (da esquerda para a direita) é a seguinte:

1) Barraca Callamares


Cardápio: casquinha de siri (R$10,00); porção de peroá (R$30,00); porção de pescadinha (R$25,00); porção de baiacu (R$25,00); e camarão ao alho e óleo (R$25,00).

Todas as porções acompanham farofa, tomate e alface.

2) Barraca da Bandeira do Brasil (ou Barraca do Coco)


Pertence aos mesmos donos do antigo Forró do Coco, lá da vila. Era aqui que o agito corria solto durante a tarde. Mas, desde 2007, a música ao vivo foi proibida pelo parque.

Cardápio: as porções de peroá, pescadinha e baiacu, acompanhadas de salada, arroz e farofa, saem por R$30,00; camarão ao alho e óleo (R$25,00); e água de coco (R$2,50).

3) Barraca do Itamar


É a direção natural de quem desce reto pelas dunas até o mar. Por isso mesmo é a mais movimentada de todas. O Itamar, dono da barraca, fez curso de culinária no SENAC de Vitória e, recentemente, expandiu seus negócios, abrindo o Restaurante Sapucaia na Vila (falaremos sobre ele em outro post).

Cardápio: porção de peroá (R$33,00); porção de pescadinha (R$23,00); camarão ao alho e óleo (R$28,00).

4) Barraca da Tartaruga


Cardápio: porção de peroá (R$30,00); porção de pescadinha (R$25,00); camarão ao alho e óleo (R$22,00); e porção de baiacu (R$25,00).

5) Barraca Sal da Terra


Cardápio: porção de peroá (R$33,00); porção de pescadinha (R$28,00); camarão ao alho e óleo (R$25,00); e porção de cação (R$30,00); lagosta (R$40,00); e casquinha de siri (R$10,00).

Leia mais sobre Itaúnas:

A Rota do Verde e das Águas

Réquiem de um litoral ou Manifesto pela valorização de Itaúnas

Série Especial Itaúnas (1)

Série Especial Itaúnas (2): o Parque

Série Especial Itaúnas (3): as Praias

Série Especial Itaúnas (4): os Passeios

Série Especial Itaúnas (5): Onde ficar

 

Comente via Facebook

comentários

0 resposta para “Série Especial Itaúnas (6): Onde comer (praia)”

  1. […] Série Especial Itaúnas (6): Onde comer (praia) […]

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital