placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
01
fev.
2011

Valei-me, Nossa Senhora da Penha!

Eu assumo!

Quando eu e minha esposa descobrimos que havíamos perdido a carteira no Convento da Penha, em pleno domingo, eu não tinha a menor esperança de reaver o dinheiro que estava nela. O pior é que, contrariando o meu próprio cuidado de não andar com muito dinheiro na carteira, naquele “bendito” domingo eu estava com a carteira levemente recheada para quitar alguns compromissos na segunda-feira!

_ “O dinheiro? Já era!” pensei comigo.

Mas os documentos pessoais – a saber: minha carteira profissional, minha carteira da OAB, minha carteira de motorista, a carteira de motorista da Renata, o documento do carro, todos os meus cartões de crédito, o cartão das minhas duas contas bancárias e, ufa!, minha carteirinha da Unimed – eu ainda tinha alguma expectativa de que devolvessem…

Pois não é que o milagre aconteceu?

A minha carteira foi achada – e devolvida! – na Portaria do Convento com todos os documentos pessoais e cada um dos reaisinhos que nela estavam por alguma alma caridosa e absolutamente desapegada que, pela nobreza do gesto, eu presumo ser devota de Nossa Senhora da Penha!

Já dá para imaginar a minha cara de tacho, né? Tô com vergonha de mim mesmo por ter desconfiado da bondade das pessoas.

E, a propósito, se você conhece a alma caridosa que encontrou a minha carteira, por favor, agradeça-a por mim!

P.S.: no meu próximo post, eu finalmente preencherei uma das maiores lacunas turísticas do “Rotas”: o Convento da Penha. Aguardem!

Comente via Facebook

comentários

0 resposta para “Valei-me, Nossa Senhora da Penha!”

  1. Alexandre disse:

    Lembro da cena do filme “O Auto da Compadecida” quando João Grilo no meio do sofrimento grita: Valei-me Nossa Senhora! Ele clamava: “vou me apegar em gente como a gente” em sua palavras…

    Mais uma vez vemos uma interferência “divina”, mas com a participaçã humana: não basta ir ao convento, ou ser fiel, tem que praticar! E essa alma bendita realmente soube ser Cristão com “C” maiúsculo…

    Sua recompensa já foi dada, um lugar no rol dos santos… ou melhor, nos dias de hoje tal ato, poderia ser até um Mártir.

  2. Thiago Lorencini disse:

    éé, agrade muito então a Nossa Senhora, pq gente assim não se encontra muito mais!!

  3. Eduardo Altoé disse:

    Ô minha gente!!!!
    Cuidado com os documentos Tiagão.. rs

  4. Luciana Marçal disse:

    Nos tempos de hoje só podemos pensar em milagre!abraçao Lu Marçal

  5. tiagodosreis disse:

    É isso aí, pessoal! Milagres – e generosidade – existem, sim!
    Aliás, a Lu comentar por aqui é mais um milagre!!! ehehehe

  6. Thiago Bolzani disse:

    Grande Tiago e demais amigos do blog, infelizmente a exceção confirma a regra, mas ainda acho que a grande maioria das pessoas são boas! Temos que acreditar nisso, hehehe!
    Ainda assim, a presença de Nossa Senhora ajuda e muito!!
    abraços

  7. […] o museu a tempo de você também fazê-lo, o episódio da carteira esquecida – que eu contei aqui – me impediu de completar a missão naquele dia e me forçou a uma segunda visita no último dia […]

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital