placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
16
ago
2011

Rabo do Lagarto: charme e romantismo em Pedra Azul

Há algum tempo que eu vinha namorando a Pousada Rabo do Lagarto em Pedra Azul. Ela foi inaugurada há pouco mais de 2 anos e causou rebuliço no setor turístico capixaba por encarnar o estilo “pousada de charme” até então inédito no Estado. Não demorou para que ela passasse a ser considerada a melhor pousada de Pedra Azul, quiçá do Espírito Santo.

Mas tanto charme e estilo tem um preço, claro. Os quartos mais simples da pousada não saem por menos de R$350,00 durante o inverno, valor bem acima do padrão ao qual eu estou acostumado. Foi preciso então esperar por uma ocasião especial para que o custo fizesse sentido. E nenhuma ocasião poderia ser mais propícia para a Rabo do Lagarto do que o meu aniversário de casamento!

Realmente, aniversários de namoro, noivado e casamento são ocasiões mais que propícias para se hospedar na Rabo do Lagarto. Primeiro porque você tem uma razão bem forte para investir um pouco mais no charme e no aconchego do cenário do seu romance. E segundo porque esse é exatamente o propósito da Rabo do Lagarto: oferecer um cenário charmoso e aconchegante para casais em momentos românticos-clichês!

Acredite! Por várias razões, você não vai querer sair da suíte!

Reserve seu hotel em Pedra Azul usando o Booking.com

E se a ideia é não sair da suíte, tente cacifar uma das suítes loft da Rabo do Lagarto. Além de maiores, elas vem com dois grandes diferenciais: lareira e banheira de hidromassagem ou ofurô. O preço? R$640,00. É um pouco salgado, eu admito. Mas pense no valor dos presentes que vocês costumam trocar nos aniversários de namoro, noivado ou casamento que vocês fazem. Pensou? Agora avalie se não compensaria trocar, pelo menos uma vez na vida, esses “mimos” todos por uma noite ou um final de semana, quem sabe?, na Rabo do Lagarto e carregar por toda a vida as lembranças e recordações dos momentos perfeitos que vocês passarão lá?

Foi pensando assim que eu me convenci a atender o desejo da minha esposa Renata e reservar duas noites numa dessas suítes.

Quando fizemos a reserva a pousada ainda não estava cheia e, por isso, tivemos a oportunidade de escolher a suíte. De todas, a Vó Chica foi a que a Renata mais gostou. A decoração foi inspirada na cultura africana, com predomínio da cor preta. E isso realmente chama atenção:

Suíte Vó Chica (Fonte: Site da Pousada Rabo do Lagarto)

O único defeito da Vó Chica – se é que isso é um defeito! – é ter ofurô, e não banheira. E o ofurô da Rabo do Lagarto não tem hidromassagem. Tá, eu sei que isso é coisa de gente deslumbrada que acha banheira de hidromassagem o fino do fino! Mas fazer o que? Eu não tenho culpa se o imaginário romântico-social fez da banheira de hidromassagem um acessório indispensável para os tais momentos românticos-clichês!

Por isso a gente acabou optando pela suíte Amadeus.

Suíte Amadeus

O nome é uma homenagem ao compositor Wolfgang Amadeus Mozart. E homenagear Mozart foi a forma encontrada para se homenagear uma das etnias que contribuíram para a formação do povo capixaba: o austríaco.

Suíte Amadeus

Aliás, taí uma curiosidade sobre a Rabo do Lagarto. Todas as suítes foram concebidas com o propósito de homenagear os povos que fincaram raízes em solo capixaba. Por isso, a ambientação delas se diferencia totalmente. A idéia foi reproduzir nos detalhes e na própria decoração os costumes, as tradições e os principais símbolos de cada um desses povos. E assim surgiu a Vó Chica que, como falei, foi inspirada na cultura africana; a Amadeus, na cultura austríaca; a Zermatt, no povo suíço; a Baviera, no alemão; a Piazza Navona, no italiano; a Aymorés, nos índios etc.

Mas voltando a nossa suíte, as referências à arte de Mozart estão nos detalhes: nos quadros da parede, nos ímas do frigobar e nas peças decorativas espalhadas pelo quarto.

Suíte Amadeus

Suíte Amadeus

Suíte Amadeus

E, por falar em banheira, eu já falei que, de dentro da banheira, você avista a Pedra Azul? Não? Pois, é verdade! De dentro da banheira, você avista a Pedra Azul!

A Pedra Azul vista da banheira

E não é só da banheira não. De vários pontos da suíte você avista a Pedra Azul.

A Pedra Azul vista da varanda

A Pedra Azul vista da varanda

E não é só a Amadeus que tem esse privilégio não. Todas as suítes da Rabo do Lagarto tem vista para a Pedra Azul.

Só isso bastaria para tornar a sua estada na Rabo do Lagarto uma experiência inesquecível. Para quem não sabe, a Pedra Azul é um dos pontos turísticos mais famosos do Espírito Santo. O fascínio que ela desperta no povo capixaba é tão grande que, ali, no entorno da Pedra Azul, fez-se a maior concentração de pousadas e restaurantes por metro quadrado do Estado. Por isso, usando os dados de uma pesquisa que eu encomendei ao meu senso comum, eu diria que 9 em cada 10 capixabas que sobem as montanhas para curtir o friozinho vão atrás da Pedra Azul e seus encantos. Daí você pode concluir que, hospedar-se numa pousada que lhe oferece vista permanente para esse monumento, é algo a se valorizar.

Mas não é só a vista da Pedra Azul que faz a estada na Rabo do Lagarto ser inesquecível. A Pousada por si só tem atributos suficientes para fazer jus a esse adjetivo!

As instalações, por exemplo, são um capítulo à parte. E olha que eu não estou falando só das suítes! As suítes são coisa para revista de decoração falar, não eu. Estou me referindo à área externa mesmo, com seus belos jardins e plantas exuberantes.

Além disso, há vários ambientes para contemplação da paisagem com cadeiras, mesas, sofás e espreguiçadeiras.

E para quem não quer pagar o preço para ter o luxo de um ofurô dentro do quarto, não faz mal: tem dois deles à disposição dos hóspedes no jardim.

Pequenos detalhes fazem as mulheres suspirarem: sabonetes franceses, chá e biscotinhos caseiros no check-in, amenities L’Occitane, toalhas de algodão egípcio, lençóis de muitos fios, edredons de plumas de ganso, talheres e acessórios de prata e louças importadas.

A pousada também dispões de uma extensa coleção de livros e DVD’s, que pode ser consultada a qualquer momento pelos hóspedes (todas as suítes tem aparelho de DVD). Entre tantas opções, chamou-me a atenção os livros de fotografia e história do Espírito Santo. Na nossa suíte, por exemplo, tinha um livro do Palácio Anchieta que eu sou doido para ter:

Outro grande detalhe da Rabo do Lagarto é o café da manhã. Aliás, detalhe não! Destaque mesmo. Primeiro porque não tem hora para acabar. Ele começa a ser servido às 08:00h e só termina quando o último hóspede levanta da mesa. Assim… sem qualquer limitação de horário. E segundo porque ele foge do comum, ao conciliar a mesa principal com porções individuais servidas em sua mesa. Lembra do café da manhã do Alcino, que eu relatei aqui? Pois então. O esquema é quase o mesmo. Mas não tem aquela variedade toda que fez do café da manhã do Alcino o melhor do Brasil e, no geral, só serve de forma individual os itens quentes feitos na hora.

Mas eu confesso que esperava um pouco mais do café da manhã da Rabo do Lagarto. Na verdade, eu acabei me empolgando com a possibilidade de relembrar o Alcino e nem imaginava que essa comparação inevitável acabaria frustrando as minhas expectativas.

E, de fato, eu me frustrei um pouco. Primeiro porque não havia quem conduzisse o serviço de forma a valorizá-lo. Entramos no salão do café no primeiro dia e não havia ninguém para nos recepcionar ou explicar o esquema. Havia apenas um garçom para servir todas as mesas. E, talvez por estar sobrecarregado naquele momento, ele não parava para explicar o que eram os itens e demorava além da conta para substituí-los. E segundo porque os itens levados à mesa se repetiram na manhã seguinte.

Isso não quer dizer que as coisas servidas não fossem gostosas. Pelo contrário! Tudo era muuuuuuito gostoso. Especialmente essa torrada:

Essa torrada aí não era gostosa, não. Ela era dos deuses! Só a minha nutricionista que não pode saber disso…

E, pensando bem, independente dos atropelos que mencionei acima, só o esforço de oferecer um café da manhã diferente do tradicional já conta a favor da Rabo do Lagarto.

Por fim, o bistrô da Pousada também é um grande diferencial. Além de ser o espaço onde é servido o café da manhã, o bistrô abre à noite para o jantar, que não está incluído na diária. O cardápio muda todos os dias e é apresentado aos hóspedes nas suítes.

Jantamos apenas uma noite no bistrô, porque queríamos experimentar outros restaurantes da região. A Renata apostou na leveza de uma sopa de capeletti com legumes (R$29,00):

E eu lembrei na hora das delícias que minha mãe faz e fui de cara no lombo de porco ao vinho com arroz e purê de batata baroa (R$40,00):

Os preços não são tão convidativos e estão acima da média dos restaurantes da região. Mas inclui nessa conta a comodidade de se jantar na própria pousada e não ter que se preocupar em pegar carro para andar pelos arredores atrás de um restaurante e relaxa!

O bistrô não abre regularmente para o almoço. Mas se você manifestar interesse previamente, eles podem abrir uma exceção. Basta consultar a recepção.

Além disso, o bistrô serve “comidinhas para a fome fora de hora” – como eles mesmos chamam – das 14:00 às 23:00h. Entre as opções estão sanduíche de presunto defumado com pasta de ricota (R$8,00), sanduíche de copa de lombo com pasta de tomate seco e ervas (R$10,00), sanduíche de pasta de ricota, tomate seco, manjericão e azeitonas pretas (R$8,00), além de chocolate quente (R$6,00), capuccino (R$4,00) e café espresso com grãos orgânicos (R$4,00) ou do famoso Jacu Coffee (R$10,00).

Pedimos um bule de café tradicional e olha só como ele nos foi servido:

Agora fala que não é pra se encantar com um lugar desses?

É por tudo isso e, também, por sua localização privilegiada que eu não tenho como não concordar com aqueles que consideram a Rabo do Lagarto a pousada mais charmosa e romântica de Pedra Azul! Ela, definitivamente, mexeu com os padrões de hospedagem na região, acostumada aos extremos do abusivamente caro e do “sem-graçamente” barato. Eu sei que a Rabo do Lagarto aposta na idéia de que é “o hóspede e a Pedra Azul que devem brilhar”, como ela anuncia em seu site. Mas o fato é que, perto das outras pousadas, ela brilha sim e com grande destaque.

Então, já sabe! Separe também uma data especial em seu namoro, noivado ou casamento e aposte num final de semana pra lá de romântico na Pousada Rabo do Lagarto em Pedra Azul. Seu bolso pode até reclamar, mas sua namorada, sua noiva ou sua esposa vão agradecer! E muito!

Em tempo: a Rabo do Lagarto não aceita crianças menores de 14 anos.

Informações úteis:

Pousada Rabo do Lagarto

Rodovia Geraldo Sartório (ES 164), km 70, São Paulo do Aracê, Pedra Azul, Domingos Martins-ES.

Telefone: (27) 3248-2383 e 9942-6121

Como chegar: há dois caminhos.

O primeiro, mais tradicional, passa pela Rota do Lagarto. Depois de percorrê-la por inteiro, vira-se à direita na Rodovia Geraldo Sartório, indo em direção a Venda Nova do Imigrante. Guie-se pelas placas que indicam os condomínios Villagio Verdi e Monte Blú. Após 4 km nessa estrada, você encontrará o portão de acesso à Rabo do Lagarto.

O segundo, mais rápido, segue pela BR 262 até o trevo de acesso à Rodovia Geraldo Sartório, depois do distrito de Pedra Azul. O trevo está situado no km 94 da BR 262. Siga as placas que indicam a direção de Vargem Alta. 4 km depois você encontrará o portão de acesso à Rabo do Lagarto.

Reserve seu hotel em Pedra Azul usando o Booking.com

Comente via Facebook

comentários

30 respostas para “Rabo do Lagarto: charme e romantismo em Pedra Azul”

  1. Renata Reis disse:

    Quando a minha foto não fica boa, ela vem com crédito, não é, karol? Mas quando ela fica linda, nada de referências a minha pessoa!! Informo a todos que a 11ª e a 12ª foto são minhas!! Sim… aquelas lindíssimas com a Pedra Azul desfocada!! rsrs

  2. Karol disse:

    A propósito: na qualidade de madrinha, parabéns pelo aniversário de casamento de vcs!

  3. Eduardo Rabello disse:

    Renata,
    Acho que o Tiago tinha que dar mais crédito para vc (literalmente).
    E parabéns pelo ótimo olhar fotográfico. Foi a melhor foto desfocada que já vi da Pedra Azul…rs!

  4. Raphael Castro disse:

    Tiago, foi um nosso amigo comum, o Marçal, que me apresentou esse seu imperdível “rotascapixabas”, não sei se te lembras…
    Desde então o acompanho deslumbrado, sem saber se isso é bom ou ruim, pois me agrava a saudade do ES, já de estou morando em Brasília, nesse momento esturricada, tão ferrenha a seca que atravessamos aqui!! Imaginar o clima e o verde de Pedra Azul, mas estando aqui nessas circunstâncias, faz surgir uma covarde (para Brasília!!) comparação que chega a desanimar!!
    Parabéns pelos “post’s”, pelas fotos e informações, sobremaneira pela forma leve e completa que as presta!!
    Raphael Castro (CRJ/PGFN)

    • Oi, Raphael! Claro que eu lembro.
      Somos colegas de trabalho e acredito que, muito em breve, trabalharemos no mesmo local, não é mesmo?
      Me orgulha muito saber que você gosta do nosso blog. É um grande prazer – e, de certa forma, uma válvula de escape – escrevê-lo.
      Valeu pela visita e pelos elogios!
      Quem sabe não nos encontramos em breve, aqui em Vitória mesmo?
      Abs

      • Raphael Castro disse:

        Quanto a trabalhar no mesmo local… Queira Deus!! Estou muito afim de voltar para casa ou para próximo do ES! Você seria meu consultor turístico!! Rsrs! Mas, pela qualidade do blog, é só acompanhá-lo que não fica pendente nenhuma dúvida sobre os lugares incríveis e as melhores dicas para tirar o melhor proveito das viagens!! Valeu!

  5. Dudu Parajara disse:

    Devia ser proibido o acesso a esse site aos estudantes, estagiários e demais modalidades de pessoas ricas em espírito e pobres na carteira!
    Dá muita vontade de conhecer esses lugares. O “Rabo do Lagarto” em especial eu já era doido pra conhecer e fiquei mais ainda agora!
    Parabéns, Tiagão, por mais um excelente post!

    ps: fiquei curioso… quais seriam as demais razões para “não querer sair da suíte”?
    rsrs Brincadeira!

    Abraço!

  6. Thiago Lorencini disse:

    estou de olho nessa pousada desde sua abertura, mas ela tem um preço bem salgado com relação as outras, apesar de estar num patamar superior.

    enquanto isso fico em outras, já que só o valor da diária da rabo do lagarto paga todas as despesas de alimentação e diária de outras pousadas, e ainda sobra pra gasolina! rsrs

    continue assim com o blog, tá bacana!

    valeu, abraço

  7. lilia mello disse:

    Tiago!!!

    Você foi PERFEITO!! Até as críticas foram em cima das que nós pedimos há 2 anos para nosso garçon ficar atento e não repetir. Basta sairmos de perto que volta a acontecer, Tiago. Você pode imaginar o que é treinar mão-de-obra completamente fora da hotelaria? O garçon é pedreiro durante a semana, e quase toda a equipe é de agricultores. Nós conseguimos formar um “dream team”, praticamente, mesmo com todo aprendizado que ainda têm pela frente, valorizamos cada conquista deles.

    Que ótimo que você e Renata gostaram tanto. Voltem sempre. Faço votos de que a vida de vocês sempre tenha ótimos momentos para comemorar conosco aqui na Pousada Rabo do Lagarto! Vou direcionar meus hóspedes para seu blog.

    Um grande abraço,

    Lília

    • Oi, Lilia! Que prazer tê-la aqui no Rotas!
      Fico muito feliz que tenha gostado do meu relato, mas mais feliz ainda que tenha entendido minhas críticas. Isso é raro!
      Na verdade, tirando esse pequeno deslize do café, nós fomos muito bem recebidos e atendidos pelos funcionários da sua pousada. Eles foram sempre muito educados e atenciosos. Não temos do que reclamar.
      Imagino que deve ser difícil trabalhar com mão-de-obra local e não especializada, mas essa sua iniciativa só reforça o quanto a sua pousada é diferenciada. E eu valorizo MUITO isso!
      Pode ter certeza que esse nosso final de semana na sua pousada foi inesquecível! E que, certamente, voltaremos para comemorar muitas outras datas especiais como essa…
      Fique à vontade para nos visitar aqui no blog também!
      Abs

  8. [...] « Rabo do Lagarto: charme e romantismo em Pedra Azul Ó Camburi! (ou manifesto pela valorização da Praia de Camburi) [...]

  9. [...] e Julieta”: clima ameno, belezas naturais cênicas (veja aqui), pousadinhas românticas (veja aqui), bons restaurantes (veja aqui, aqui) e cidadezinhas charmosas com arquitetura européia (veja [...]

  10. Diana disse:

    Já sei onde iremos comemorar o aniversário de casamento este ano! E Tiago, trate de dar créditos à sua esposa Renata pelas fotos: estão maravilhosas! Parabéns pelo post!

  11. Ines disse:

    Tudo muito bonitinho…mas a comida do hotel é intragável,a decoração beira a cafonice mesmo…se dá pra entender,parece que colocaram paginas de revistas de decoração no liquidificador e aplicaram!Falta classe,refinamento…para se chegar a algum lugar.Café da manhã paupérrimo.

    • Ines, sério que você tá falando da Rabo do Lagarto? Sei lá… achei que você pegou um pouco pesado nas críticas.
      Mas tudo bem? Respeito a sua opinião. E te agradeço por compartilhá-la aqui no blog.
      Abs

  12. marli disse:

    Acho que a Inês deve pegar um avião para São Paulo e se hospedar num Hotel na Avenida Paulista.
    As suites e a decoração da Rabo do Lagarto estão em perfeita harmonia com o lugar. Tudo lindo, estou louca para conhecer.

  13. Thais disse:

    Esta pousada é maravilhosa! Já me hospedei por duas vezes. Suites pefeitas! Café da manhã de primeira!!!
    Acredito que a Sra. Inês não tenha realmente se hospedado nesta pousada ou realmente não entenda NADA de decoração e artigos de primeira. Lamentavel!

  14. Fernanda disse:

    Boa tarde , estou querendo fazer uma surpresa de aniversário para meu marido , e depois das suas referências Tiago estou animadíssima. Mais só ficarei uma diária , afinal meu bolso não aguentaria mais , o valor é bem puxado né ?

  15. Tamira A V Moreira disse:

    Adorei descobrir esse blog! Sou de Bh, moro em Vitoria há 2 anos e o que eu e meu marido mais comentamos é “como tem lugar bonito no ES e ninguém conhece!” Falta ainda muita divulgação, mas esse blog já ajuda muito. Adorei sua forma de escrever e suas opiniões. Já salvei nos meus favoritos e vamos acompanhar.
    Estou com viagem marcada para a pousada Rabo do Lagarto e pelo que li, parece ser realmente bem bacana!
    Abraços, Tamira

    • Oi, Tamira! Que bom saber disso. Fico feliz que tenha gostado do Rotas.
      Também sou mineiro e sempre tive essa mesma sensação sua que, no fundo, eu atribuo a um complexo do capixaba. Bom pra gente que sabe aproveitar, né? :)
      Tenho certeza que você vai gostar da sua passagem pela Pousada e por Pedra Azul. Curtam bastante. E, se puder, volta aqui pra contar como foi.
      Abs

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital