placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
04
set
2011

Ó Camburi! (ou manifesto pela valorização da Praia de Camburi)

Já faz algum tempo que eu queria falar um pouco sobre a Praia de Camburi, em Vitória-ES.

Camburi, para quem não sabe, é a principal praia da capital Vitória, com mais de 6 km de extensão. Suas águas banham três bairros da cidade: Jardim da Penha, Mata da Praia e Jardim Camburi, que são unidos por um único e contíguo calçadão.

E já que eu toquei nesse assunto, vou logo falando do lado negativo dessa história: o calçadão da praia de Camburi é uma daquelas lendas urbanas de nossa capital, ao lado do aeroporto (veja aqui). Ele já sofreu inúmeras reformas de uma ponta a outra, mas está sempre “inacabado”. A última obra de revitalização da orla, por exemplo, foi iniciada em 2005, não foi totalmente concluída (ainda faltam os quiosques!!!) e deixou de fora a parte do calçadão em frente ao bairro de Jardim Camburi, que já havia sido reformada em 2002. No fim das contas, a diferença arquitetônica que se nota entre os dois trechos é tanta que eles mais parecem pertencer a praias distintas.

Mas tamanho descaso político não deveria atrapalhar a relação do capixaba de Vitória com a sua praia mais interessante: Camburi. A verdade é que a gente pode até trair Camburi de vez em quando para pegar um bronze na Ilha do Boi (cujas águas são mais apropriadas para banho), para curtir a badalação das praias da nossa vizinha Vila Velha ou, até mesmo, para esticar o final de semana entre as praias e as noites agitadas do nosso balneário mais famoso, Guarapari. Mas ninguém há de negar que o nosso coração sempre volta para Camburi quando bate aquela necessidade e vontade de se afirmar capixaba. E se o seu não volta, meu amigo, deveria!

Sim, porque é da orla de Camburi que a gente geralmente se lembra e fala quando algum forasteiro pergunta como é a nossa cidade. É da orla de Camburi que a gente se orgulha quando percebe, visitando outras cidades, que ela dá um banho de beleza e organização em muita orla famosa por aí. É na orla de Camburi que a gente se abre para confraternizar com quem quer que seja em eventos esportivos (a Caminhada Medida Certa do Fantástico está aí para não me deixar mentir!), apresentações musicais, artísticas e todo e qualquer tipo de atividade pensada e organizada para o nosso lazer e civismo. E, afinal, é na orla de Camburi que a gente se reúne, todos os anos, para se despedir de todas as zigueziras do ano velho e receber, felizes e esperançosos, o ano novo.

Quer relação de amor maior que essa?

Eu até poderia dizer que Camburi está para Vitória como Copacabana está para o Rio de Janeiro. Mas não. Eu não vou ceder a essa velha mania do capixaba de se comparar com os cariocas para ilustrar as suas semelhanças. Na verdade, eu luto muito contra isso. E sinceramente acho que já passou da hora de o capixaba abandonar logo esse particular complexo de vira-lata e começar a se orgulhar das suas coisas – e do seu Estado – pelo que elas são e não pelo que elas poderiam ou parecem ser. Nós temos razões suficientes para não fazer do Espírito Santo uma cópia barata de outros lugares. E é só por isso que eu não vou dizer que Camburi é a nossa Copacabana!

O que eu te digo é que Vitória, literalmente, ferve em Camburi! Já ferveu bem mais, é fato, no emaranhado de guarda-sóis, esteiras e cadeiras que se instalavam na areia quente da praia quando os quiosques ainda estavam de pé. Mas ferve, ainda hoje, com um tímido emaranhado de guarda-sóis, esteiras e cadeiras que se instalam na areia quente da praia.

Ferve mais ainda com o suor da turma do futebol de areia, do vôlei de praia, do frescobol e de várias outras modalidades de exercícios que se repetem, todos os dias, nas suas areias.

Ferve no vai-vém acelerado de gente caminhando, correndo, patinando ou pedalando no calçadão.

Ferve na repetição dos movimentos das pessoas que se reúnem nas aulas de ginástica e alongamento dos módulos de orientação ao exercício físico e nas academias da terceira idade espalhadas pelo seu calçadão.

Ferve no calor dos beijos e abraços de casais que, dos banquinhos espalhados no calçadão, contemplam o horizonte de Camburi em busca de romance.

E ferve também, como não?, no fluxo intenso de veículos que circulam, todos os dias, nas ruas largas da avenida que corta a praia.

E se a fervura for grande e insuportável, não faz mal; pelo menos as águas de Camburi são geladas!

Geladas, mas lamentavelmente sujas. A verdade é que só agora Vitória se prepara para resolver o problema do esgoto sanitário e retirar do mar de Camburi os resíduos que ela joga(va) pelo ralo. Quanto ao pó preto que vem da Vale… sinto muito, Camburi! Esse você vai ser obrigada a agüentar como triste herança do nosso descaso.

E se por um acaso você ainda não se deu conta disso, eu te digo: é nossa culpa, capixabas, nossa tão grande culpa, que Camburi não seja assim tão bela e deslumbrante como aquelas praias que costumam freqüentar a nossa noção de “paraíso na Terra”. Fomos nós que a aterramos e tornamos grossas as suas areias; fomos nós que a sujamos, dia e noite, com o esgoto que lançamos no seu mar; e fomos nós que marcamos para sempre o seu horizonte com as fumaças e chaminés dos parques industriais da Vale e da CST.

Por isso, capixabas, tá na hora de nos redimirmos. Tá na hora de valorizar o que construímos para nós mesmos.

Esse é o meu apelo!

Nós fizemos de Camburi a NOSSA sala de estar, a NOSSA área de lazer e o NOSSO cartão de visitas. E se você parar para reparar bem, vai perceber que, apesar dos pesares, não é toda cidade que pode se dar ao luxo de ter uma SALA DE ESTAR, uma ÁREA DE LAZER e um CARTÃO DE VISITAS como esse!

E aí, capixabas? Que tal valorizarmos a NOSSA CAMBURI?

P. S.: eu não poderia terminar esse apelo sem deixar registrado o meu agradecimento à Prefeitura de Vitória pela iniciativa de interditar parte da Av. Dante Michelini aos domingos para carros, ampliando a área de uso exclusivo de pedestres! Ficou ainda mais agradável aproveitar Camburi!

Comente via Facebook

comentários

9 respostas para “Ó Camburi! (ou manifesto pela valorização da Praia de Camburi)”

  1. Ludmila disse:

    Tiago, sempre gostei de Camburi, principalmente agora, morando em Jardim Camburi. Aproveitamos ao máximo nossa praia. Agora, ficou ainda melhor com a Rua de Lazer aos domingos, iniciativa do vereador Serjão Magalhães, que encaminhou pedido à PMV.

  2. Karol disse:

    Conheci uma portuguesa que morou aí por alguns anos e me disse que nunca viu um mar cor de esmeralda como em Camburi.
    Foi um texto tão apaixonado, Tiago, que por alguns momentos me fez esquecer a sujeira que, infelizmente, marca essas águas. O minério é um dado de realidade tão forte e imperativo que impede a gente de sonhar esse mar… pena.

  3. Ricardo disse:

    Esse eh um lugar que nao deixo de ir quando venho para Vix. Dou minhas corridas todos os dias por la. Mas eh lamentavel o estado que se encontra. Bom… nao poderia ser diferente com uma administracao petista na cidade. Toda a cidade esta entregue. Conseguiram quebrar o caixa de uma das cidades mais ricas do pais…. fazer o que. Grande abraço.

  4. Aninha disse:

    Adorei este post Rotas!!! O ano de 1997 em que me mudei para Jardim Camburi foi um dos mais importantes de minha vida!!! Importante porque mudou minha história, pra muito melhor! Novos amigos, a igreja em minha vida, faculdade, primeiro emprego e meu grande amor (que tb foi criado neste bairro), tudo isso de bom nasceu aqui. Casamos, e aqui continuamos, e honestamente não pensamos em sair. Esse ‘clima’ que possui o nosso bairro, é muito gostoso e peculiar, e não consigo me imaginar saindo daqui para qualquer outro bairro vizinho. Não que eles não tenham suas qualidades, mas é que JC, aahh…como é bom! É um bairro residencial, que também possui um comércio forte (apesar de não ser marcado como um bairro extremamente comercial – graças a Deus! Não gostaria de morar num bairro agitado que quando chego em casa ainda pareço estar no trabalho) e possui tudo que os moradores precisam. Com raras exceções é necessário sair daqui para comprar ou resolver alguma coisa. Além disso, pelas ruas, é muito comum encontrarmos amigos e conhecidos (outra característica interessante), pois muitas famílias são antigas do bairro, cresceram seus filhos aqui, participaram ativamente da igreja, enfim, aqui a gente se sente um pouco em cidade de interior (é só dar uma volta pelas ruas ou supermercado, e encontramos um monte de gente querida!). Voltar do trabalho margeando a Orla de Camburi, no entardecer, é uma delícia! A paisagem, o vento , as cores e os coqueiros, tudo traz uma sensação de leveza por estar voltando ao “meu” bairro, à minha casa! Aqui, também temos a gastronomia como um dos pontos fortes, e se você pensar em vir para cá pra comer, com certeza vai pensar primeiro em carne! Uma das nossas marcas são as churrascarias! Os bares especializados vivem lotados (e não é para menos pois são uma delícia de opção!), mas não pensem que temos apenas isso! Pelo contrário, temos também comida chinesa, japonesa, italiana, as feirinhas da praça da Igreja que mesclam um pouco de tudo e possuem lanches gostosos e variados para todos os gostos, pizza em cone (hehehe), etc… Coroando tantas coisas boas, a iniciativa da Dante Micheline ser fechada em um dos sentido aos domingos para o lazer dos capixabas, foi boa demais!!! JC, quem já foi daqui e por algum motivo saiu, certamente guarda boas recordações e um desejo de um dia quem sabe, retornar. Todos que conheci que moraram aqui, falam com muito amor deste bairro, são cheios de boas recordações e muitas vezes, acabam voltando para cá! Por tudo isso e muito mais esse bairro está aí, crescendo, em expansão e de braços abertos para acolher um monte de gente que está no aguardo dos seus apartamentos ficarem prontos para se mudar, daqueles que já foram daqui e agora estão voltando, dos que já são daqui e estão casando seus filhos que continuam a morar aqui, dos filhos dos casais jovens, enfim, Jardim Camburi acolhe todo seu povo amado.

  5. Leonardo Cunha disse:

    Tiago, parabéns por mais essa reportagem. De fato, Camburi tem muitos lados negativos, como o calçadão que, inexplicavelmente, encontra-se incompleto. Contudo, os lados positivos estão despontando e chamando a atenção para nós mesmos, capixabas e moradores de Jardim da Penha, Mata da Praia e Jardim Camburi, então felizardos com contato direto com essa paisagem. A chance de andar poucos metros e iniciar uma caminhada à beira mar é um privilégio para poucos. Basta ver que o retorno do fechamento de uma via da orla está um sucesso, com várias famílias desfrutando do espaço e do sol que nos abençoa. Enfim, esperamos que os lados negativos, principalmente a poluição da água do mar, sejam sanadas, a fim de que Camburi se torne um dos principais pontos turísticos do ES.

  6. Parabéns pela busca da valorização do que é nosso, belo e democrático. Bem que a prefeitura ou grupo de pessoas poderiam promover um “concurso/exposição” com fotos da nossa Camburi, permanentemente nos abrigos de ônibus e nos tapumes das obras dos quiosques.
    Cederia foto sem ônus, com a minha assinatura é claro, especificamente para esse fim.
    Acredito que é possível e viável. Teremos fotos maravilhosas para observar nas caminhadas e nas paradas de ônibus.

  7. Rita Paterlini disse:

    Sou apaixonada por Jardim da Penha e Camburi! Meu quintal, minha casa, meu coração! Faço minhas suas palavras! Grande Abraço.

  8. Luiz disse:

    Como está a balneabilidade desta praia?

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital