placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
19
mar
2012

Patrimônio da Penha (Portal do Céu): o Vale do Capão capixaba

A história se repete em vários lugares de serra pelo Brasil. Algumas pessoas se encantam com as belezas naturais de uma região e com a energia que dela emana e decidem fundar ali uma comunidade, digamos assim, alternativa. Uma comunidade que, estimulada pela exuberância da natureza, se propõe a viver em bases sustentáveis e com foco no crescimento espiritual.

Foi isso que aconteceu no Caparaó capixaba há 20 anos. Uma paulista e um carioca enxergaram no chamado Patrimônio da Penha, um pequeno distrito do município de Divino de São Lourenço, o habitat perfeito para se dedicarem à filosofia do santo daime. E assim eles deram inicio ao povoamento da comunidade que hoje se conhece como Portal do Céu e que vem atraindo a atenção de pessoas interessadas nesse particular modo de vida.

Portal do Céu é uma espécie de Vale do Capão capixaba (leia aqui). Um Vale do Capão minúsculo e ainda pouco afetado pela chegada do turismo. Aliás, é bom que você saiba que as pessoas de Portal do Céu não tem interesse em levar qualquer tipo de turista para lá. Eles querem atrair apenas turistas conscientes e que saibam apreciar e respeitar o modo de vida e o cenário escolhido para a comunidade.

Não é por outra razão que eles lutam contra a chegada do asfalto a Patrimônio da Penha. Há até um abaixo-assinado dos moradores para impedir que o asfalto da estrada que liga Dores do Rio Preto a Ibitirama passe por lá. Mas a causa divide opiniões. Os nativos do lugar enxergam no asfalto o início de um futuro mais promissor.

Talvez os nativos, que residem em Patrimônio da Penha há mais tempo que os moradores de Portal do Céu, tenham razão. A comunidade é bem simples e eminentemente agrícola. Para eles o asfalto pode trazer benesses e facilidades que ajudarão a movimentar a economia local. Mas, sem dúvida alguma, a chegada do asfalto pode ser um tiro no pé para o potencial turístico da região. O asfalto pode impactar negativamente o ambiente local e afetar o clima rústico, tranqüilo e, ao mesmo tempo, místico que começa a chamar a nossa atenção.

Místico? Sim, místico. Portal do Céu não está ali à toa. As condições naturais ali encontradas favorecem a percepção de um lugar energeticamente carregado e ideal para um exercício de espiritualidade. Inclusive, há quem defenda que a Serra do Caparaó é um dos chakras do mundo (seja lá o que isso quer dizer) e que “toda energia contida na mata é emanada para qualquer parte do planeta desde que haja alguma necessidade. A influente energia que só ali é cultuada é fruto dos poderes espirituais que as almas dos Puris, verdadeiros habitantes da região, mantem sob vigília” (trecho do livro O vôo da libélula do Caparaó, de Miguel Lamas).

Se isso tudo é verdade mesmo eu não sei. O que eu sei é que a Serra do Caparaó é um lugar de rara beleza e grande exuberância natural. E isso realmente nos convida a uma auto-reflexão.

Cachoeira Alta

O acesso a Portal do Céu não é assim tão fácil. É preciso percorrer uma trilha de aproximadamente 40 minutos a partir de Patrimônio da Penha. Foi isso que nos desanimou de chegar até lá. A subida ao Pico da Bandeira no dia anterior causara alguns estragos musculares, principalmente nas pernas, que nos impediam de pensar em fazer outra trilha. Por isso só nos restou conhecer as histórias de Portal do Céu pelas bocas do Marcelo e da Eloísa na Pousada Recanto das Pedras, em Patrimônio da Penha.

Por indicação da Cecilia, dona da Villa Januária (leia aqui), nós paramos na Recanto das Pedras para almoçar e buscar mais informações sobre os atrativos do local. E lá nós conhecemos o Marcelo e a Eloísa.

O Marcelo é um dos donos da pousada, ao lado de sua esposa Valéria. A Eloísa é moradora de Portal do Céu e trabalha com eles. Quando chegamos, por volta de 14:00h, o almoço já havia sido servido. Mas, ainda assim, eles não se negaram a nos servir uma macarronada preparada na hora, acompanhada do que ainda havia sobre o fogão. Pagamos R$30,00 pelo almoço, que incluía suco natural, sobremesa (doces de frutas em compota) e cafezinho coado na hora.

Enquanto comíamos, ouvimos uma breve explicação do Marcelo e da Eloisa sobre a comunidade de Portal do Céu. Soubemos que são aproximadamente 20 moradores, incluindo um italiano e um suíço. Soubemos ainda que já há opção de hospedagem por lá numa pousadinha mantida pelo próprio Marcelo, o Centro de Vivências Jardim do Beija-Flor, onde são oferecidas atividades para quem procura conhecer a filosofia da comunidade ou simplesmente experimentar técnicas de vivência, como ioga, dança, reeducação alimentar entre outros. E soubemos finalmente que o entorno de Portal guarda inúmeros atrativos naturais, como cachoeiras, rios e um belo nascer do sol!

Por “n” motivos foi inevitável relembrar a recente viagem que fizemos à Chapada Diamantina, que você acompanhou aqui. São muitos os pontos de contato entre a Serra do Caparaó e Chapada: rios, cachoeiras, poços, trilhas, aventura, agroturismo e muito, muito misticismo. Temos aí as matérias-primas perfeitas para estabelecer uma rota turística diferenciada e altamente rentável para a comunidade local. Uma rota que, mais do que qualquer outro lugar do Espírito Santo, pode atrair definitivamente os olhares para as belezas naturais desse estado tão ignorado turisticamente.

É pagar para ver!

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

Comente via Facebook

comentários

7 respostas para “Patrimônio da Penha (Portal do Céu): o Vale do Capão capixaba”

  1. Acho que a versão mineira do Patrimônio da Penha é o Vale do Matutu. Eu tô ensaiando para ir lá há um tempão, mas confesso que meu interesse surgiu quando descobri sobre as pousadas vegetarianas da região. ;-)

  2. Liliana disse:

    Tiago, que bacana! Como já disse, foi uma experiência única a minha ida ao caparaó, visita ao Portal do Céu e ao Sandro! E sabe quem fez meu marido ir lá a primeira vez? O ex-marido da Cecília, dona do restaurante Alecrim do qual você já falou aqui. Ela era assídua por lá! Mundo pequeno. No Portal do Céu vi uma das coisas mais surreais da vida. Um estúdio todo feito de cimento e garrafa usada, num formato meio maluco, bem no alto de uma montanha. A visão é algo como algo de uma Disney trash,demais! Muito bacana você dividir isso aqui!

  3. Oi, Tiago :)
    Tudo bem?

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Beijos da Bóia ;-)

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital