placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
02
jul
2012

Albergue Review: Ipanema Beach House e Leblon Spot

Esse post pertence à série “Outras Rotas” do “Rotas”. Nela, os nossos blogueiros fazem relatos de suas viagens fora do Espírito Santo. Se quiser conhecer mais sobre esses relatos, basta clicar na aba “Outras Rotas” ali no topo do site para ter acesso a todos os posts separados por destino.

Acho que não contei isso aqui antes. Mas, por causa de uma pós-graduação que estou fazendo pelo meu trabalho, todo mês eu preciso viajar ao Rio de Janeiro e passar três dias na cidade para assistir as aulas. Tá certo que meus planos iniciais de aproveitar o tempo vago nos dias de aula para turistar um pouquinho pelas rotas cariocas nunca se concretizou por causa do cansaço. Mas, pelo menos, no último mês, eu pude experimentar uma nova forma de hospedagem na cidade: albergue.

Na verdade, foram duas experiências diametralmente opostas em dois albergues diferentes: o Ipanema Beach House e o Leblon Spot. Tudo por causa da tal Rio + 20.

Explico.

As aulas do mês de junho coincidiram com o começo da Rio + 20. Quando eu e os meus dois colegas que fazem a pós comigo nos demos conta disso, já não havia mais vaga em quarto triplo no nosso hotel-apartamento-coringa de sempre: o Jucati, em Copacabana. Daí começamos a peregrinação nos sites de reservas por outras opções viáveis. Mas não encontramos nada por menos de R$700,00 a diária, quase o triplo do que costumamos pagar.

A alternativa, então, foi tentar vagas em albergues. Mas não num albergue qualquer. Consegui convencer os meus colegas a procurar um albergue que fosse minimamente confortável, como esses da onda “design” que chegou recentemente ao Rio (veja aqui).

Tentamos no Z.bra e no Leblon Spot, mas já não havia vagas para duas noites. Só nos restou o Ipanema Beach House, um albergue que eu imaginava “bacana” por causa dessa reportagem aqui.

Ledo engano. De “bacana” o Ipanema Beach House tem só a localização. De resto, o albergue foi uma tremenda decepção.

Eu até reconheço que, pela sua estrutura e localização privilegiada, é bem possível que, em algum lugar do passado, o Ipanema Beach House tenha sido de fato um albergue “bacana”. Ele tem muito potencial para isso, a começar pela sua piscina, jardim e vizinhança famosa.

Mas falta uma administração mais profissional e cuidadosa. E falta, sobretudo, mais limpeza. Quando a gente chegou, o cenário era meio desleixado, para dizer o mínimo.

Nosso quarto cheirava a mofo e tinha poeira pra tudo quanto é lado. O ventilador de teto fazia tanto barulho que parecia querer cair em cima de nós. Que dizer, então, desse banheiro:

Para piorar, a administração do albergue não cumpriu a promessa de trocar a cama de casal do nosso quarto por duas de solteiros e torná-lo triplo. Aí ficaram os três marmanjos, com cara de tacho, sem saber o que fazer diante daquela situação.

A solução foi mudar para o quarto coletivo de nove camas, sem qualquer desconto na diária pelo downgrade. E isso porque a gente já tinha desembolsado quase o dobro do preço da diária normal do quarto triplo: R$290,00, com café da manhã!!!!

Depois do “trauma”, a gente resolveu sair à caça de vagas em outro hotel para a noite seguinte. Nenhum de nós três estava disposto a passar outra noite naquela condição. Mas a gente também não queria – nem podia – pagar o olho da cara para ficar num hotel qualquer. Por isso, eu resolvi contatar novamente o Leblon Spot sobre disponibilidades. E dei graças a Deus quando soube que havia três vagas no quarto quádruplo do Leblon Spot para a noite do dia 14. Foi a nossa salvação!

Eu já havia me hospedado no Leblon Spot antes e sabia que, perto do Ipanema Beach House, o Leblon é quase um hotel design, só que em forma de albergue. Mas, por causa da Rio + 20 (sempre ela!), a gente também pagou o dobro da diária normal para dormir no quarto quádruplo: R$150,00 por pessoa, com café da manhã.

Muito mais que a decoração estilosa do prédio, o que mais chama a atenção no Leblon Spot é a limpeza, sempre impecável, principalmente dos banheiros.

Foto: Divulgação

Os banheiros coletivos são separados por gênero. Em todos os andares há um banheiro para homens e outro só para mulheres. Mas vai aqui um conselho de amigo: quando for se hospedar no Leblon Spot, prefira um quarto longe dos banheiros femininos. Você não faz ideia do barulho que as mulheres fazem lá dentro!!!!

Todos os quartos possuem ar-condicionado split. E, além dos coletivos, com 4, 6 ou 10 camas, há também suítes para casal, com banheiro privativo.

Beliches do quarto coletivo com 4 camas

As diárias nessas suítes não são baratas. A suíte junior, por exemplo, a menorzinha delas, custa R$250,00 por noite em período normal. Mas, se você incluir nessa conta os cenários de novela manoel-carlina que você e sua cara-metade terão ao lado de casa, vai ver que o investimento pode valer a pena. Principalmente porque, em termos de localização, o Leblon Spot é incrível. Ele fica no finalzinho da Avenida Dias Ferreira, numa área recheada de boas opções gastronômicas.

Só para você ter uma ideia, no mesmo prédio do albergue está situado o famoso restaurante CT Boucherie, do inconfundível chef Claude Troigros, do GNT. E, do outro lado da rua, está o não menos famoso botequim Chico e Alaíde, com seus chopps gelados e bolinhos pra lá de recheados.

Mas não custa lembrar que, apesar de “design”, o Leblon Spot é e continua sendo um albergue. Você precisa ter isso em mente antes de se hospedar lá para não se sentir incomodado com o excesso de socialização e compartilhamento de espaços. Não dá para achar que a privacidade será a mesma de um hotel.

No mais, essa experiência da Rio + 20 serviu para me dar ainda mais certeza de uma coisa: quero estar bem longe do Rio na época da Copa e das Olimpíadas!

Leia todos os posts da série “Outras Rotas” clicando aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

Comente via Facebook

comentários

7 respostas para “Albergue Review: Ipanema Beach House e Leblon Spot”

  1. Diana disse:

    Não conheço o albergue, mas a localização realmente é maravilhosa… Fomos no CT Boucherie e no Chico e Alaíde, aí pertinho! Imperdíveis!

  2. Ricardo disse:

    Brasil… roubalheira de todos…. O preço dos hoteis no Rio para a Rio+20 foi a coisa mais ridicula. Os hoteis estavam mais caros que aqueles para as olimpiadas de Londres. Depois dizem que Londres eh cara…. Isso pq a Inglaterra eh um pais de primeiro mundo com a moeda custando 3 vezes o valor da nossa. Sem comentarios.

    Quanto ao banheiro… padrao Brasilia. Se vc achar um banheiro diferente desse num apto na Asa Sul que custe mais de 1 milhao e meio, eu lhe dou um doce. kkkkk..

  3. juliana disse:

    cara, mas vc tem mesmo q se hospedar na zona sul? não é melhor ficar no centro da cidade, naqueles hotéis de rede? Em botafogo tbm tem opções. Moro no Rio e sempre indico aos amigos q vem aqui hoteis no centro da cidade. Alguns albergues da zona sul são mais caros q hotéis em Paris!!

    • Oi, Juliana. Na verdade, a gente sempre aluga um apartamento em Copa, como eu disse no post. É que vamos em 3 e quarto triplo em hotel é sempre mais difícil.
      O problema foi a Rio +20, que triplicou os preços dos hotéis. Aí foi uma boa oportunidade para eu conhecer um desse albergues design que abriram no Rio.

  4. juliana disse:

    Mesmo sem Rio+20 eu ainda me assusto com os valores das diárias aqui no Rio…

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital