placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
20
jul
2012

Florença e as galerias

Esse post pertence à série “Outras Rotas” do “Rotas”. Nela, os nossos blogueiros fazem relatos de suas viagens fora do Espírito Santo. Se quiser conhecer mais sobre esses relatos, basta clicar na aba “Outras Rotas” ali no topo do site para ter acesso a todos os posts separados por destino.

Licença para o clichê turístico. Florença, você sabe bem, foi o berço do movimento renascentista na Itália. Pelas mãos dos Médici, os florentinos mais ilustres, Florença se converteu num museu a céu aberto cheio de museus a portas fechadas. Não dá para não se inebriar com tanta arte. As ruas e os museus de Florença estão recheadas de obras de artistas italianos famosos, como Brunelleschi, Donatello e Michelangelo.

Por isso visitar museus será um programa obrigatório para quem vai a Florença pela primeira vez. A cidade tem museu pra mais de uma semana de permanência. Mas dois deles são, particularmente, imperdíveis: a Galeria deggli Uffizi e a Galeria dell’Accademia.

O primeiro deles – a Galeria deggli Uffizi – é considerado o maior museu de arte da Itália. É uma “indecência” em todos os sentidos: tanto pelo tamanho, quanto pela quantidade de obras. Mesmo que você não tenha sido um aluno muito aplicado nas aulas de história, vai ser impossível não se lembrar de que vários daqueles quadros estampavam as páginas dos seus livros didáticos.

Dentro da galeria não é possível fotografar. As exceções ficam por conta de um cantinho no segundo andar, de onde se abre uma bela vista do Rio Arno e da Ponte Vecchio, e do terraço, onde fica a cafeteria.

Ponte Vecchio vista da Galeria deggli Uffizzi

O segundo é a Galeria dell’Accademia, cuja fama se deve à presença ilustre da estátua original do Davi, de Michelangelo. Nenhuma outra obra de arte em Florença é mais famosa que ele, o Davi. Por isso uma multidão de turistas vai lá na Accademia só para vê-lo. Ver e fotografar. Apesar dos insistentes gritos de “no photos! no photos!” dos seguranças, quase ninguém obedece.

Eu, mesmo, não obedeci. E me envergonho por isso até hoje. Mas a quantidade de gente tirando fotos é tamanha que você acaba indo na onda por achar que é permitido fotografar.

Mas, não. Não é permitido fotografar o Davi da Accademia. Aliás, como na maioria dos museus da cidade, não é permitido fotografar nada na Accademia. A gente deveria se contentar em fotografar a réplica do Davi, lá na Piazza della Signoria. Aos nossos olhos de leigo, dá até para enganar:

Davi, a réplica

Ao contrário do que muita gente pensa, o Davi não está “sozinho” na Accademia, não. Na sala imediatamente anterior à dele, está outro belíssimo conjunto de esculturas que Michelângelo esculpiu para o túmulo do Papa Julio II entre 1521 e 1523, conhecido como Os Quatro Prisioneiros. Mas, delas, eu não tirei foto. Eu juro.

A Patricia, do Turomaquia, dá todas as informações sobre a Accademia nesse post. Ela ensina até uma interessante forma de abordagem na visita ao museu com crianças. Uma ótima dica para os papais!

O melhor de tudo é que dá para visitar as duas galerias sem enfrentar filas. Basta comprar o ingresso, com hora marcada, pela internet seguindo as dicas que o Ricardo Freire dá nesse post. Dá até para agendar a visita para o mesmo dia. Nesse caso, separe 2 horas pela manhã para a Accademia e um horário no começo da tarde para a Uffizzi, onde você gastará mais tempo.

E, não se preocupe. Não há uma só barraquinha de souvenir em Florença que não ostente alguma parte do corpo do Davi estampada em uma lembrancinha. Sacanear os amigos vai ser bem fácil.

Leia todos os posts da série “Outras Rotas” clicando aqui.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter

Curta o “Rotas” no Facebook

Comente via Facebook

comentários

6 respostas para “Florença e as galerias”

  1. OI, brigaduuu pela lembrança. Eu sinceramente acho que visitar as duas no mesmo dia é demasiada informação para os sentidos e para o cérebro. Tipo pecado que ñ vale a pena 😉
    beijos

  2. Ricardo disse:

    Engraçado…. quando fui em 2008 eu acho q podia fotografar o Davi. Ou será que me enganei……. Na ultima vez que fui p Firenze comprei alguns aventais do Davi p sacanear alguns amigos como vc disse.

  3. Fabiola disse:

    Fui para Itália em outubro do ano passado e todos os museus agora permitem fotos (sem flash)! Até o Davi! Exceto dentro da Capela Sistina….

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital