placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
21
jan
2015

5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória

Pedra Azul

Pedra Azul

Do mar à montanha em 40 minutos”. Um dos motes da propaganda oficial do Governo do Estado do Espírito Santo faz realmente todo o sentido. Em um estado de distâncias tão curtas e cheio de diversidades geográficas e culturais, é muito fácil rechear a sua viagem com passeios super diferentes um do outro. Você pode tomar um banho de mar pela manhã e experimentar o melhor da culinária italiana nas montanhas capixabas à tarde, curtindo um clima bem mais agradável. Ou então, conhecer o legado da nossa colonização à beira-mar e, ainda, fazer um passeio de escuna pelas águas de um rio e visitar uma reserva indígena em Aracruz.

Para facilitar a sua vida, nesse post eu vou dar 5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória. Todos estão a 1 hora (no máximo!!!) de viagem da capital. Tem praia, tem montanha, tem passeio cultural e gastronômico. Basta que você escolha aquele que mais se identifica com o seu perfil de viajante.

Confira dicas de hospedagem em Vitória aqui

1) Guarapari: praia e moqueca

Foto: Fabian.kron (CC BY-ND 2.0)

Guarapari – Foto: Fabian.kron (CC BY-ND 2.0)

O balneário mais famoso do Estado está a apenas 40 minutos de distância da capital. São mais de 30 praias para você escolher passar o dia. Dependendo do seu perfil, as mais famosas são: a) Setiba e Castanheiras, para crianças (esta última também atrai pessoas mais idosas); b) Areia Preta e Bacutia, para os mais jovens; e c) Meaípe e Peracanga, para famílias.

Esse super-post do 360 Meridianos traz mais detalhes sobre as praias de Guarapari.

Foto: Bruno Depizzol (CC BY-ND 2.0)

Meaípe – Foto: Bruno Depizzol (CC BY-ND 2.0)

Em Meaípe você ainda pode esticar o dia experimentando a famosa culinária capixaba nos restaurantes da região. O mais famoso é o Curuca. Eu, no entanto, recomendo fortemente o Gaeta.

Mas se você não quiser gastar uma centena de reais numa moqueca para 2 pessoas, aposte no bolinho de aipim da Zezé que, pelo tamanho, substitui facilmente uma refeição. Ele fica numa barraca entre o Curuca e a praia.

Restaurante Curuca - Foto: Aline (CC BY-NC 2.0)

Restaurante Curuca – Foto: Aline (CC BY-NC 2.0)

Se você gosta de trilha e natureza, uma visita ao Parque Estadual Paulo César Vinha – como fez a Liliana, do Catálogo de Viagens (leia aqui) – também é uma opção. O acesso é pela Rodovia do Sol, com sinalização antes da chegada ao município.

Parque Paulo César Vinha - Foto: Liliana Stahr, Catálogo de Viagens

Parque Paulo César Vinha – Foto: Liliana Stahr, Catálogo de Viagens

Para ir até Guarapari, você tem 2 opções: a ES 060 (mais conhecida como Rodovia do Sol) e a BR 101. Por ser inteiramente duplicada e estar praticamente à beira-mar, eu recomendo a ida pela Rodosol (que é administrada por uma concessionária e tem pedágio no valor de R$7,20).

2) Domingos Martins e Pedra Azul: no rastro da imigração européia

Pedra Azul

Parque Estadual da Pedra Azul

Para quem quer dar uma pausa no banho de mar, a dobradinha Domingos Martins X Pedra Azul é uma ótima pedida. Você vai conhecer as belezas naturais da região e experimentar o vigor do agroturismo legado pelos imigrantes italianos e alemães que se instalaram por aí no início do século XX.

Sugiro que você faça exatamente como o Fred Marvila, do SundayCooks, fez e relatou nesse post. Siga reto pela BR 262 (tenha muita paciência porque a rodovia não é duplicada e há tráfego intenso de caminhões) até a entrada da famosa Rota do Lagarto, onde você acessa o Parque Estadual da Pedra Azul. Surpreenda-se com os encantos dessa rota, que eu considero um dos trechos rodoviários mais bonitos do Brasil.

Rota do Lagarto

Rota do Lagarto

Aí você tem várias opções de passeio: as trilhas do Parque, o passeio a cavalo do Fjordland e, a depender da época, a colheita de morangos orgânicos.

Cavalgada ecológica

Cavalgada ecológica no Fjordland

Para almoçar, o Don Lorenzoni Due ou o Alecrim são os que eu mais recomendo. Se quiser apenas um café ou um lanche, a Cafeteria Heimen, dentro do Fjordland, ou a Marietta Delicatessen são as suas melhores opções.

Mas isso não é tudo. Você ainda tem várias opções de passeio nas proximidades. Tem as propriedades do agroturismo de Venda Nova que eu listei aqui, tem orquidários (como o Caliman), tem o arvorismo e, um pouquinho mais longe, o Zoológico de Marechal Floriano, que você pode visitar na ida para Domingos Martins.

O Socol da Família Lorenção

O Socol da Família Lorenção

Termine o dia visitando o centrinho de Domingos Martins, cidade fundada por imigrantes alemães. A cidade é bem pequenina e, do ponto de vista do turista, tudo o que interessa estará nos arredores da Praça Dr. Arthur Gherardt e da Rua do Lazer, onde você encontra várias opções de bares e restaurantes.

Foto: Nicoli Barea (CC BY-NC-SA 2.0)

Domingos Martins – Foto: Nicoli Barea (CC BY-NC-SA 2.0)

Confira todos os nossos posts sobre Domingos Martins e Pedra Azul aqui.

3) Santa Teresa: a doce terra dos colibris

Santa Teresa

Colibri no Museu Mello Leitão

Eu já dei vários motivos aqui no Rotas para você incluir Santa Teresa no seu planejamento de viagem ao Espírito Santo. E a principal razão para isso é que a cidade está a 40 minutos de Vitória, com acesso pela BR 101 Norte, no município de Fundão, proporcionando aquele que eu considero o melhor bate-volta dessa lista (mas é uma questão de gosto pessoal, claro!).

Santa Teresa

Santa Teresa

Santa Teresa é a cidade-natal de Augusto Ruschi, naturalista brasileiro mundialmente conhecido por seus estudos e luta pela preservação da mata atlântica. Nela se encontra a maior concentração de beija-flores do mundo. É um espetáculo que você pode ver ao vivo e a cores no Museu Professor Mello Leitão, bem no centro da cidade, onde você deve começar o seu passeio.

Dali, dependendo da hora, você pode almoçar no requintado Café Haus (mesma rua do museu) ou no despojado Fabrício Bar e Restaurante, que fica bem no meio da famosa Rua do Lazer, a mais fotogênica da cidade.

Santa Teresa

Rua do Lazer

Reserve a sobremesa para o Trentino Café, que fica bem em frente à Praça Augusto Ruschi, outra atração da cidade. De lá, você pode percorrer o Circuito Caravaggio e explorar as atrações que se vê ao longo do caminho, como a Casa Lambert, a Cantina Matiello, a Vinícola Tomazelli, a Casa dos Espumantes e, ao final, o mirante da Rampa de Vôo Livre (os mais aventureiros podem arriscar um vôo). Leia mais sobre eles aqui.

Santa Teresa

Rampa do Vôo Livre, Circuito Caravaggio

Na volta para Vitória, não se esqueça de fazer uma paradinha na fábrica de biscoitos Claid’s, que fica bem na saída da cidade, para experimentar e levar pra casa os seus famosos biscoitos caseiros.

Confira todas as nossas dicas sobre Santa Teresa aqui

4) Manguinhos e Nova Almeida: delícias do litoral norte

Eu sei que a maioria dos turistas que vem para o Espírito Santo costuma voltar sua atenção para o litoral sul do Estado em razão da fama de Guarapari. Mas vai por mim. O litoral norte pode ser igualmente interessante no quesito praia.

Foto: Divulgação (www.manguinhos.org.br)

Praia de Manguinhos – Foto: Divulgação (www.manguinhos.org.br)

Na Serra, por exemplo, município que fica ao lado de Vitória, o balneário de Manguinhos é uma agradável surpresa. O mar de águas calmas e o ambiente bucólico da antiga vila de pescadores são ótimos para quem gosta de um lugar mais tranqüilo (mas não espere mar azul!).

Na praça principal almoce no famoso Geraldo, um dos mais tradicionais restaurantes de comida capixaba.

De lá, siga na direção norte pela ES 010 até Jacaraípe para conhecer a inusitada Casa de Pedra, do artista Neusso. A casa – cuja aparência mexe com a imaginação dos visitantes – foi inteiramente construída pelo artista com material não-convencional e hoje funciona como ateliê e galeria de arte.

Casa de Pedra, Jacaraípe

Casa de Pedra, Jacaraípe

Continue a viagem até Nova Almeida, ainda na Serra. Siga as placas que indicam a Igreja dos Reis Magos para conhecer uma das igrejas mais antigas do Brasil. Deslumbre-se com o cenário e com a paisagem que se descortina do alto da falésia. Este é um dos meus recantos favoritos aqui no Estado.

Igreja Reis Magos

Igreja dos Reis Magos – Foto: Gabriela Valente

Na volta, não deixe de experimentar os quitutes mais famosos do local: o quindim do Sr. Wilson (Cantinho’s Bar) e o picolé ituzinho da Sorveteria Domingos (leia mais aqui).

5) Aracruz: circuito das águas

Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Santa Cruz – Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Ainda no litoral norte, Aracruz é um segredo a ser revelado para o turismo nacional. A 1 hora de viagem da capital Vitória pela Rodovia ES 010 (que já garante visuais incríveis à beira-mar), a cidade tem um litoral belíssimo, ainda pouco conhecido por quem é de fora.

Santa Cruz

Rio Piraqueaçú – Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Num bate-volta, eu sugiro você fazer como a Liliana, do Catálogo de Viagens (leia aqui). Siga até Santa Cruz e comece fazendo o passeio de escuna pelo Rio Piraqueaçu para apreciar as paisagens intocadas de um dos maiores manguezais da América Latina. Ligue para confirmar as saídas: 27 3250 1941 (Escuna Princesinha do Mar).

Foto: Daniel Filgueiras (CC BY-NC-SA 2.0)

Mangue – Foto: Daniel Filgueiras (CC BY-NC-SA 2.0)

Ao final do passeio, experimente a moqueca do Restaurante Mocambo, que fica anexo ao deck de embarque e desembarque da escuna. Aproveite ainda para conhecer a Igrejinha de Santa Cruz e a Casa de Câmara e Cadeia, ambas construídas no período imperial e tombadas pelo patrimônio histórico estadual.

Foto: Gabriela Valente

Vista da aldeia temática – Foto: Gabriela Valente

De lá, você pode visitar uma das 9 reservas indígenas existentes no município de Aracruz, o único no Estado que possui índios aldeados. A mais próxima é a Aldeia Piraqueaçú, que fica na primeira entrada à esquerda após a ponte que cruza o rio de mesmo nome. A tribo é de origem guarani e produz um variado artesanato indígena, como chocalhos, pau de chuva, brincos etc.

Bem perto dali encontra-se a aldeia temática, uma espécie de aldeia cenográfica que reproduz as antigas habitações indígenas. As crianças adoram.

Coqueiral de Aracruz - Foto: Rodrigo Borçato (CC BY-NC 2.0)

Coqueiral de Aracruz – Foto: Rodrigo Borçato (CC BY-NC 2.0)

Ao final da tarde, assistir ao pôr-do-sol em meio aos coqueirais da praia de Coqueiral antes de voltar pra Vitória pode ser uma boa idéia.

* Em parceria com o Booking.com, todas as reservas feitas através dos links citados neste post geram comissão para o blog, sem que você pague nada a mais por isso. É uma forma de ajudar a manter o blog sem qualquer custo para você!

Reserve seu hotel em Vitória usando o Booking.com

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter e Instagram

Curta o “Rotas” no Facebook

Comente via Facebook

comentários

26 respostas para “5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória”

  1. Eu achei a Igreja dos Reis Magos a maior surpresa quando estive no ES! Nem sabia da existência (http://taindopraonde.blogspot.com.br/2014/02/descobrindo-o-es-serra-uma-surpresa-no.html)! E comi em um restaurante ótimo na praia de Manguinhos, o Maria Mariana, cada camarão gigante! http://taindopraonde.blogspot.com.br/2014/01/descobrindo-es-restaurante-maria-mariana-praia-manguinhos.html

    • Que legal saber disso, Fernanda! Como você disse no seu post, a Igreja dos Reis Magos é o nosso Quadrado (eu sempre digo isso aqui). Pena que poucos a conhecem.
      E o Maria Mariana realmente é muito bom. Ótima dica!

  2. Diana disse:

    Adorei o post! Principalmente porque ainda não fui para Santa Teresa – falha imperdoável! Outro dia indiquei seu blog para uma pessoa que vinha de fora passear no ES e ela, obviamente, amou!

  3. Adriana Girone disse:

    Em Pedra Azul tem um restaurante muito legal, de comida típica da roça, o Ninho do Jacu, que vc deve visitar. Fica em um lugar delicioso, no meio da mata. Além da comida ser uma delícia, o atendimento é de primeira e vc ainda pode dar aquela relaxada nas redes que estão espalhadas em volta. Maravilha.

  4. Joyce Silva disse:

    Santa Teresa, cidade maravilhosa!!!

    Vou morar pertinho (São João de Petrópolis, mais conhecido como Barracão) e quando fui para lá, passei por Santa Teresa e aproveitei para dar um passeio pela cidade. Simplesmente maravilhosa!

  5. Concordo com a Fernanda, a Igreja dos Reis Magos foi surpreendente.

    Gostei Muito.

    Agora preciso voltar para conhecer Santa Teresa!

    Abraço e obrigado por citar o 360. 🙂

  6. Liliana disse:

    Tiago,
    Que post mais lindo!! Eu sempre digo que Vitória é uma das cidades mais perfeitas para bate e volta mas o problema é a falta de informação. Seu post será recomendando por mim toda vez que algum amigo for visitar nossa cidade, pode ter certeza!
    Eu mesma vou usar várias dessas dicas(em muito breve). Obrigada por citar o Catálogo!

  7. Rafael Medina disse:

    Excelente artigo!!

    Eu sempre digo isso pra amigos de fora. Temos praia e montanha, frio e calor, num raio de 100km. Isso pro turismo é fantastico.

  8. Bóia disse:

    Oi, Tiago. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

  9. Terrinha capixaba linda d+! Eu e minha família já fizemos esses roteiros. Mega perfeito!

  10. luzia fariasilva disse:

    Ainda é de visitar o espírito santo e curtir total estas maravilhas

  11. Anônimo disse:

    Adoreiiiiiiii o post , portanto , conheço algum lugares citados. ….

  12. Este é daqueles posts para guardar nos favoritos e ser usado na próxima vez que visitar o Espírito Santo. Faz agora 10 anos que conheci o Estado, quem sabe não estará na hora de voltar. Grande abraço e parabéns pelo trabalho.

  13. Carol Spina disse:

    Olá, Tiago, encontrei seu blog no Viaje na Viagem. Parabéns pelos detalhes!
    Moro em São Paulo e fui à Praia Formosa (SESC) quando era criança, de carro, com meus pais. Penso em voltar para o Espírito Santo, mas não encontrei nenhum pacote de viagem disponível em todos os sites que pesquisei!!! Por favor, se eu for de avião à Vitória, consigo fazer estes roteiros acima com ônibus? Será que os hotéis possuem ofertas de passeios / transfers / etc. Queria muito conhecer Aracruz, mas sem carro, estou achando complicado!
    Como o Rafael disse acima, o ES é ótimo para o turismo. Não entendo pq as agências não colaboram!
    Obrigada por ajudar!
    bjs!!!

  14. José Luiz disse:

    Com atraso, agradeço as dicas do seu “site”, Tiago. Em fevereiro deste ano, fui a Vitória e, de lá, fiz um passeio à serra capixaba, vistando Domingos Martins e Venda Nova. Gostei muito da Parque da Pedra Azul, e também de visitar as propriedades do agronegócio. Espero que você continue fazendo postagens aqui, com sugestões não só do Espírito Santo, mas de todos os lugares para onde foi. Um abraço.

  15. Cecilia Medeiros disse:

    Voce indicaria uma agencia de turismo para o bate volta?

  16. Anônimo disse:

    Gostaria de saber se a partir de 10 de Dezembro até 23 Dezembro se chove muito em Vitória e nas Rotas Capixaba. Lucia Rio de Janeiro

  17. Anônimo disse:

    Fiz um passeio na pedra azul…maravilha!!!

  18. Rosângela disse:

    Muito boa as dicas ,conheci alguns desses locais lindos com meu irmão e cunhada nesta semana de presente de aniversário com meu amado

  19. Véra Castro disse:

    Tiago seria muito interessante você abrir uma agência de viagem em Vitória, pois duas vezes por ano fico hospedada na casa de minha Comadre que mora na Serra e nunca consegui fazer nenhum passeio por lá. A impressão que tenho quando passo trinta dias, dentro de casa é que os capixabas não curtem turismo, passeios, etc. Não existe uma agência que indique o que devemos conhecer, etc. Com este seu post agora em 2016, vou tentar conhecer um pouquinho da ilha.
    Obrigada por sua divulgação.
    Véra Castro
    Botafogo, RJ

Deixe uma resposta

Comente via Facebook

comentários

Powered by Facebook Comments

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital