placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
21
jan
2015

5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória

Pedra Azul

Pedra Azul

Do mar à montanha em 40 minutos”. Um dos motes da propaganda oficial do Governo do Estado do Espírito Santo faz realmente todo o sentido. Em um estado de distâncias tão curtas e cheio de diversidades geográficas e culturais, é muito fácil rechear a sua viagem com passeios super diferentes um do outro. Você pode tomar um banho de mar pela manhã e experimentar o melhor da culinária italiana nas montanhas capixabas à tarde, curtindo um clima bem mais agradável. Ou então, conhecer o legado da nossa colonização à beira-mar e, ainda, fazer um passeio de escuna pelas águas de um rio e visitar uma reserva indígena em Aracruz.

Para facilitar a sua vida, nesse post eu vou dar 5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória. Todos estão a 1 hora (no máximo!!!) de viagem da capital. Tem praia, tem montanha, tem passeio cultural e gastronômico. Basta que você escolha aquele que mais se identifica com o seu perfil de viajante.

Confira dicas de hospedagem em Vitória aqui

1) Guarapari: praia e moqueca

Foto: Fabian.kron (CC BY-ND 2.0)

Guarapari – Foto: Fabian.kron (CC BY-ND 2.0)

O balneário mais famoso do Estado está a apenas 40 minutos de distância da capital. São mais de 30 praias para você escolher passar o dia. Dependendo do seu perfil, as mais famosas são: a) Setiba e Castanheiras, para crianças (esta última também atrai pessoas mais idosas); b) Areia Preta e Bacutia, para os mais jovens; e c) Meaípe e Peracanga, para famílias.

Esse super-post do 360 Meridianos traz mais detalhes sobre as praias de Guarapari.

Foto: Bruno Depizzol (CC BY-ND 2.0)

Meaípe – Foto: Bruno Depizzol (CC BY-ND 2.0)

Em Meaípe você ainda pode esticar o dia experimentando a famosa culinária capixaba nos restaurantes da região. O mais famoso é o Curuca. Eu, no entanto, recomendo fortemente o Gaeta.

Mas se você não quiser gastar uma centena de reais numa moqueca para 2 pessoas, aposte no bolinho de aipim da Zezé que, pelo tamanho, substitui facilmente uma refeição. Ele fica numa barraca entre o Curuca e a praia.

Restaurante Curuca - Foto: Aline (CC BY-NC 2.0)

Restaurante Curuca – Foto: Aline (CC BY-NC 2.0)

Se você gosta de trilha e natureza, uma visita ao Parque Estadual Paulo César Vinha – como fez a Liliana, do Catálogo de Viagens (leia aqui) – também é uma opção. O acesso é pela Rodovia do Sol, com sinalização antes da chegada ao município.

Parque Paulo César Vinha - Foto: Liliana Stahr, Catálogo de Viagens

Parque Paulo César Vinha – Foto: Liliana Stahr, Catálogo de Viagens

Para ir até Guarapari, você tem 2 opções: a ES 060 (mais conhecida como Rodovia do Sol) e a BR 101. Por ser inteiramente duplicada e estar praticamente à beira-mar, eu recomendo a ida pela Rodosol (que é administrada por uma concessionária e tem pedágio no valor de R$7,20).

2) Domingos Martins e Pedra Azul: no rastro da imigração européia

Pedra Azul

Parque Estadual da Pedra Azul

Para quem quer dar uma pausa no banho de mar, a dobradinha Domingos Martins X Pedra Azul é uma ótima pedida. Você vai conhecer as belezas naturais da região e experimentar o vigor do agroturismo legado pelos imigrantes italianos e alemães que se instalaram por aí no início do século XX.

Sugiro que você faça exatamente como o Fred Marvila, do SundayCooks, fez e relatou nesse post. Siga reto pela BR 262 (tenha muita paciência porque a rodovia não é duplicada e há tráfego intenso de caminhões) até a entrada da famosa Rota do Lagarto, onde você acessa o Parque Estadual da Pedra Azul. Surpreenda-se com os encantos dessa rota, que eu considero um dos trechos rodoviários mais bonitos do Brasil.

Rota do Lagarto

Rota do Lagarto

Aí você tem várias opções de passeio: as trilhas do Parque, o passeio a cavalo do Fjordland e, a depender da época, a colheita de morangos orgânicos.

Cavalgada ecológica

Cavalgada ecológica no Fjordland

Para almoçar, o Don Lorenzoni Due ou o Alecrim são os que eu mais recomendo. Se quiser apenas um café ou um lanche, a Cafeteria Heimen, dentro do Fjordland, ou a Marietta Delicatessen são as suas melhores opções.

Mas isso não é tudo. Você ainda tem várias opções de passeio nas proximidades. Tem as propriedades do agroturismo de Venda Nova que eu listei aqui, tem orquidários (como o Caliman), tem o arvorismo e, um pouquinho mais longe, o Zoológico de Marechal Floriano, que você pode visitar na ida para Domingos Martins.

O Socol da Família Lorenção

O Socol da Família Lorenção

Termine o dia visitando o centrinho de Domingos Martins, cidade fundada por imigrantes alemães. A cidade é bem pequenina e, do ponto de vista do turista, tudo o que interessa estará nos arredores da Praça Dr. Arthur Gherardt e da Rua do Lazer, onde você encontra várias opções de bares e restaurantes.

Foto: Nicoli Barea (CC BY-NC-SA 2.0)

Domingos Martins – Foto: Nicoli Barea (CC BY-NC-SA 2.0)

Confira todos os nossos posts sobre Domingos Martins e Pedra Azul aqui.

3) Santa Teresa: a doce terra dos colibris

Santa Teresa

Colibri no Museu Mello Leitão

Eu já dei vários motivos aqui no Rotas para você incluir Santa Teresa no seu planejamento de viagem ao Espírito Santo. E a principal razão para isso é que a cidade está a 40 minutos de Vitória, com acesso pela BR 101 Norte, no município de Fundão, proporcionando aquele que eu considero o melhor bate-volta dessa lista (mas é uma questão de gosto pessoal, claro!).

Santa Teresa

Santa Teresa

Santa Teresa é a cidade-natal de Augusto Ruschi, naturalista brasileiro mundialmente conhecido por seus estudos e luta pela preservação da mata atlântica. Nela se encontra a maior concentração de beija-flores do mundo. É um espetáculo que você pode ver ao vivo e a cores no Museu Professor Mello Leitão, bem no centro da cidade, onde você deve começar o seu passeio.

Dali, dependendo da hora, você pode almoçar no requintado Café Haus (mesma rua do museu) ou no despojado Fabrício Bar e Restaurante, que fica bem no meio da famosa Rua do Lazer, a mais fotogênica da cidade.

Santa Teresa

Rua do Lazer

Reserve a sobremesa para o Trentino Café, que fica bem em frente à Praça Augusto Ruschi, outra atração da cidade. De lá, você pode percorrer o Circuito Caravaggio e explorar as atrações que se vê ao longo do caminho, como a Casa Lambert, a Cantina Matiello, a Vinícola Tomazelli, a Casa dos Espumantes e, ao final, o mirante da Rampa de Vôo Livre (os mais aventureiros podem arriscar um vôo). Leia mais sobre eles aqui.

Santa Teresa

Rampa do Vôo Livre, Circuito Caravaggio

Na volta para Vitória, não se esqueça de fazer uma paradinha na fábrica de biscoitos Claid’s, que fica bem na saída da cidade, para experimentar e levar pra casa os seus famosos biscoitos caseiros.

Confira todas as nossas dicas sobre Santa Teresa aqui

4) Manguinhos e Nova Almeida: delícias do litoral norte

Eu sei que a maioria dos turistas que vem para o Espírito Santo costuma voltar sua atenção para o litoral sul do Estado em razão da fama de Guarapari. Mas vai por mim. O litoral norte pode ser igualmente interessante no quesito praia.

Foto: Divulgação (www.manguinhos.org.br)

Praia de Manguinhos – Foto: Divulgação (www.manguinhos.org.br)

Na Serra, por exemplo, município que fica ao lado de Vitória, o balneário de Manguinhos é uma agradável surpresa. O mar de águas calmas e o ambiente bucólico da antiga vila de pescadores são ótimos para quem gosta de um lugar mais tranqüilo (mas não espere mar azul!).

Na praça principal almoce no famoso Geraldo, um dos mais tradicionais restaurantes de comida capixaba.

De lá, siga na direção norte pela ES 010 até Jacaraípe para conhecer a inusitada Casa de Pedra, do artista Neusso. A casa – cuja aparência mexe com a imaginação dos visitantes – foi inteiramente construída pelo artista com material não-convencional e hoje funciona como ateliê e galeria de arte.

Casa de Pedra, Jacaraípe

Casa de Pedra, Jacaraípe

Continue a viagem até Nova Almeida, ainda na Serra. Siga as placas que indicam a Igreja dos Reis Magos para conhecer uma das igrejas mais antigas do Brasil. Deslumbre-se com o cenário e com a paisagem que se descortina do alto da falésia. Este é um dos meus recantos favoritos aqui no Estado.

Igreja Reis Magos

Igreja dos Reis Magos – Foto: Gabriela Valente

Na volta, não deixe de experimentar os quitutes mais famosos do local: o quindim do Sr. Wilson (Cantinho’s Bar) e o picolé ituzinho da Sorveteria Domingos (leia mais aqui).

5) Aracruz: circuito das águas

Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Santa Cruz – Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Ainda no litoral norte, Aracruz é um segredo a ser revelado para o turismo nacional. A 1 hora de viagem da capital Vitória pela Rodovia ES 010 (que já garante visuais incríveis à beira-mar), a cidade tem um litoral belíssimo, ainda pouco conhecido por quem é de fora.

Santa Cruz

Rio Piraqueaçú – Foto: Adriano Lima (CC BY-NC-SA 2.0)

Num bate-volta, eu sugiro você fazer como a Liliana, do Catálogo de Viagens (leia aqui). Siga até Santa Cruz e comece fazendo o passeio de escuna pelo Rio Piraqueaçu para apreciar as paisagens intocadas de um dos maiores manguezais da América Latina. Ligue para confirmar as saídas: 27 3250 1941 (Escuna Princesinha do Mar).

Foto: Daniel Filgueiras (CC BY-NC-SA 2.0)

Mangue – Foto: Daniel Filgueiras (CC BY-NC-SA 2.0)

Ao final do passeio, experimente a moqueca do Restaurante Mocambo, que fica anexo ao deck de embarque e desembarque da escuna. Aproveite ainda para conhecer a Igrejinha de Santa Cruz e a Casa de Câmara e Cadeia, ambas construídas no período imperial e tombadas pelo patrimônio histórico estadual.

Foto: Gabriela Valente

Vista da aldeia temática – Foto: Gabriela Valente

De lá, você pode visitar uma das 9 reservas indígenas existentes no município de Aracruz, o único no Estado que possui índios aldeados. A mais próxima é a Aldeia Piraqueaçú, que fica na primeira entrada à esquerda após a ponte que cruza o rio de mesmo nome. A tribo é de origem guarani e produz um variado artesanato indígena, como chocalhos, pau de chuva, brincos etc.

Bem perto dali encontra-se a aldeia temática, uma espécie de aldeia cenográfica que reproduz as antigas habitações indígenas. As crianças adoram.

Coqueiral de Aracruz - Foto: Rodrigo Borçato (CC BY-NC 2.0)

Coqueiral de Aracruz – Foto: Rodrigo Borçato (CC BY-NC 2.0)

Ao final da tarde, assistir ao pôr-do-sol em meio aos coqueirais da praia de Coqueiral antes de voltar pra Vitória pode ser uma boa idéia.

Reserve seu hotel em Vitória usando o Booking.com

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter e Instagram

Curta o “Rotas” no Facebook

23
ago
2014

Moquequinha de Banana da Terra: uma coadjuvante ilustre

Foto: Doc-Expoe

Foto: Doc-Expoe

Não, eu não sou nenhum mestre cuca para vir aqui ensinar alguma receita pra vocês. E nem é esse o propósito do blog, como vocês bem sabem. Na verdade, eu abro essa honrosa exceção para a moquequinha de banana da terra por 2 motivos: primeiro, ela já virou marca registrada da gastronomia do nosso estado e costuma surpreender o paladar dos turistas que, na maioria das vezes, nunca comeram antes; e segundo porque volta e meia alguém vem aqui pedir a receita depois de ter experimentado o quitute na viagem ao ES.

Reza a lenda que a moquequinha de banana da terra foi uma invenção dos donos do Restaurante Gaeta, de Meaípe, que a conceberam para servir a um grupo de turistas vegetarianos. A iguaria agradou tanto que passou a integrar o cardápio e ser servida como acompanhamento da tradicional moqueca de peixe.

Hoje ela se encontra no cardápio da maioria dos restaurantes de comida capixaba. E não é raro ver a coadjuvante se tornar a protagonista da mesa. Você pode até não gostar de peixe ou da nossa moqueca. Mas duvido que não goste da nossa moquequinha de banana.

E cá pra nós. Isso a Bahia não tem! ;-)

Para quem quer fazer a moquequinha de banana da terra em casa, segue a receita que eu peguei com a minha mãe:

Ingredientes:

3 tomates picados e sem semente

1 cebola média

1/2 molho de salsa

1/2 cebolinha

1/2 molho de coentro

2 a 3 bananas da terra picadas em rodelas

1 colher (sopa) coloral

Sal e alho a gosto

Azeite

2 copos (100 ml) de água

Preparo:

Esquenta a panela de barro, coloca o azeite e bota o sal, o alho e a cebola para dourar. Em seguida, coloca o coloral e joga o tomate e os temperos. Deixa ferver um pouco e, depois, coloca a água. Deixar cozinhando até os temperos dissolverem e o molho engrossar. Por último, joga a banana. Quando ferver, prova o sal e deixa cozinhando por, no máximo, 15 minutos. Está pronto.

19
ago
2014

Restaurantes para crianças em Vitória

Maria em ação no Coronel Picanha

Maria em ação no Coronel Picanha

Todo mundo sabe que o meu cotidiano entrou numa fase #rotinhas desde que a Maria nasceu. Desde então, nossas viagens e passeios em família precisaram passar por uma pequena adaptação para agradar também o gosto da nossa pequena. Principalmente quando o objetivo é “comer fora de casa”. Não dá para pensar que, com um bebê ou uma criança a tiracolo, vai dar pra continuar indo aos mesmos restaurantes que você ia antes. Nessas horas, um mínimo de direcionamento para as crianças faz toda a diferença na escolha.

Daí que, para ajudar os pais na difícil tarefa de escolher um restaurante para almoçar/jantar com crianças em Vitória, eu resolvi pedir a ajuda dos universitários (leia-se: meus amigos nas redes sociais) para mapear os estabelecimentos que se propõem a atrair esse tipo de público. E qualquer esforço é benvindo: um playground, um pula-pula, uma área externa com brinquedos, desenhos e lápis para colorir nas mesas e, claro, um cardápio com opções de pratos infantis.

É bom deixar claro que eu NÃO FUI a todos esses restaurantes. Como eu disse, peguei dicas com amigos para completar a minha lista pessoal. Com as indicações em mãos, entrei em contato com todos eles por e-mail ou via facebook, dando oportunidade para que eles mesmos relatassem quais são as atrações para crianças e mandassem fotos. Mas nem todos responderam (alô, assessorias!!!).

Minha intenção aqui foi apenas mapear os restaurantes kids friendly, sem entrar no mérito do atendimento ou da comida servida, ok? Se quiser deixar a sua avaliação nesse sentido fique à vontade na caixa de comentários ao final. ;-)

A lista contempla restaurantes de Vitória, Vila Velha e Serra. Para facilitar a pesquisa, dividirei as cidades em bairros.

VITÓRIA

Praia do Canto

Screenshot_1

1) Bully’s Sucos (A)

Bully's

Um dos pioneiros em oferecer recreação para crianças em Vitória. A casa tem espaço kids com casinha de boneca, mesinhas e cadeiras para desenhar e colorir, balanço, escorregador, pula-pula e quadro negro. E tem também um item indispensável para pais com bebês: fraldário. \o/

Bully's

Nos finais de semana, o espaço ganha a supervisão de um recreador.

No cardápio, além das famosas saladas e sucos, tem opções especialmente pensadas para os kids, como o brasileirinho (filé mignon grelhado, arroz, feijão e batata frita) e o franguinho (filé de frango, arroz e purê de batatas).

Bully's

Foto: Divulgação

Endereço: Rua João da Cruz, 485, Praia do Canto, Vitória-ES

Telefone: 27 3026 4287

Horário de funcionamento: segunda a domingo, de 11:30h a 23:30h

Além de mim, indicaram esse restaurante: Ana Rothen, Cristiane Sperandio e Ludmila Nascimento.

2) Mixtura (B)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Aberto recentemente, o Mixtura trouxe para a Praia do Canto a fórmula que deu tão certo em outros cantos da cidade: churrasco no espeto. E o fez seguindo o mesmo padrão dos demais, oferecendo espaço kids com brinquedão, pula-pula e vídeo-games.

Endereço: Rua Manoel Gonçalves Carneiro, 35, Praia do Canto, Vitória-ES

Telefone: 27 3029 7720

Horário de funcionamento: terça a sexta, de 18:00 a 00:00; sábado e domingo, de 11:30 a 01:00

Indicou esse restaurante: Gabriela Valente.

Santa Lúcia

Screenshot_2

3) Picanha da Praia (C)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Mais uma casa para se comer “churrasco no espeto” que tem uma boa área para crianças, com pula pula, casinha de boneca, cavalinho de balanço etc.

Além de mim, indicou esse restaurante: Ana Rothen.

Endereço: Rua Aleixo Neto, 208, Santa Lúcia, Vitória-ES

Telefone: 27 3235 3250 e 9 9243 3984

Horário de funcionamento: segunda a domingo, de 11:00 a 00:00

Jardim da Penha

Screenshot_3

4) Divino Botequim (D)

Fonte: Divulgação

Foto: Cacá Lima (Divulgação)

Completamente reformulado, o Divino Botequim ressuscitou o seu espaço kids, atraindo novamente as famílias. É uma ótima opção para pais que gostam de “botecar”. Tem pula-pula, mesinha para colorir e pintar, quadro negro, televisão, livros e brinquedos. Tudo sob a supervisão de uma recreadora.

Endereço: Rua Eugenilio Ramos, 246, Jardim da Penha, Vitória-ES

Telefone: 27 2142 4440

Horário de funcionamento: terça e quarta, de 18:00 a 00:30; quinta, de 18:00 a 02:30; sexta e sábado, de 12:00 a 02:30; domingo, de 12:00 a 20:00

Além de mim, indicaram esse restaurante: Mônica Voss, Cristiane Sperandio e Ana Paula Moscon.

5) Disk Pizza Paulista (E)

Com uma localização privilegiada, na orla da praia de Camburi, a Disk Pizza Paulista é uma das poucas pizzarias da capital que oferecem playground e fraldário.

Endereço: Av. Dante Micheline, 615, Jardim da Penha, Vitória-ES

Telefone: 27 3200 3911

Horário de funcionamento: segunda a sábado, de 17:00 a 00:00; domingos e feriados, de 11:00 a 15:00 e 17:00 a 00:00

Indicou esse restaurante: Ludmila Nascimento.

Jardim Camburi

Screenshot_1

É de longe o bairro da capital mais bem preparado para receber os pequenos. São várias opções de restaurantes kids friendly por aqui.

6) Coronel Picanha / Ilha do Caranguejo (F)

Coronel Picanha / Ilha do Caranguejo

Eu já falei sobre o Coronel nesse post. Depois dele o restaurante se dividiu e virou 2 em 1: do lado esquerdo, o tradicional “churrasco no espeto” do Coronel, um dos pioneiros na capital; do lado direito, os famosos caranguejos e pratos à base de frutos do mar do Ilha do Caranguejo. No meio, um amplo espaço kids (dos maiores que eu conheço) com monitores e brinquedos para todas as faixas etárias.

Coronel Picanha / Ilha do Caranguejo

Tem até um carrossel de aviões que a criançada adora.

Coronel Picanha / Ilha do Caranguejo

A área é toda cercada e as crianças que entram são identificadas por adesivos com o número da mesa da família. Elas só saem de lá com os pais ou responsável.

Endereço: Rua Carlos Martins, 1290, Jardim Camburi, Vitória-ES

Telefone: 27 3337 4956

Horário de funcionamento: segunda a sexta, de 17:00 a 00:00; sábado e domingo, de 11:00 a 00:00

Além de mim, indicaram esse restaurante: Ana Rothen, Cristiane Sperandio, Diana Carvalhinho e Ludmila Nascimento.

7) Grill Mania (G)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Outro restaurante que segue a linha do Coronel de “churrasco no espeto”. A área do playground também tem monitores e é bem grande, com brinquedão, pula-pula, fliperama e brinquedos para crianças menores.

Endereço: Rua Carlos Martins, Jardim Camburi, Vitória-ES

Telefone: 27 3347 0834

Horário de funcionamento: segunda a sexta, de 17:00 a 00:30; sábado e domingo, de 11:00 a 01:00

Indicaram esse restaurante: Gabriela Valente e Ludmila Nascimento

8) Rancho Beliskão (H)

Rancho Beliskão

Foto: Divulgação

A área externa do restaurante tem um amplo playground com monitora. Mas a sensação de segurança fica um pouco prejudicada porque não há vigilância no portão. É bom ficar de olho.

Em compensação, o Rancho tem banheiro especial para crianças, sala para amamentação (com direito a microondas para você esquentar a comidinha do bebê sem depender do garçom) e fraldário, itens raros.

Rancho Beliskão

Foto: Divulgação

A especialidade da casa são as tábuas de carne. Para as crianças, as opções de pratos infantis são o Beliskids (cubinhos de filet mignon, arroz, feijão e batata frita) e o Ranchinho (cubinhos de peito de fango, arroz, feijão e purê de batata).

Endereço: Rua José Celso Cláudio, 134, Jardim Camburi, Vitória-ES.

Telefone: 27 3337 0800

Horário de funcionamento: segunda a domingo, de 11:00 às 00:00.

Indicaram esse restaurante: Gabriela Valente e Luciana Karla.

9) Banzai (I)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Um dos mais tradicionais restaurantes de comida japonesa da capital abriu uma filial em Jardim Camburi bem adaptada ao perfil do bairro: nos fundos, tem um espaço para crianças com monitor e brinquedos.

É a melhor opção para os pais que gostam de comida oriental.

Endereço: Av. Ranulpho Barbosa dos Santos, 930, Jardim Camburi, Vitória-ES

Telefone: 27 3207 3785

Horário de funcionamento: segunda a domingo, de 18:00 a 00:00

Indicaram esse restaurante: Cristiane Sperandio, Gabriela Valente e Ludmila Nascimento.

VILA VELHA

Screenshot_1

10) Costa Brasil (J)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O pioneiro da fórmula “churrasco no espeto” em Vila Velha tem uma boa área para crianças nos fundos, com brinquedão, balanço, escorregador e quadro negro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Endereço: Av. Hugo Musso, 826, Praia da Costa, Vila Velha-ES

Telefone: 27 3229 7940

Horário de funcionamento: terça a sexta, de 18:00 a 00:00; sábado, de 11:00 a 00:00; e domingo, de 11:00 a 17:00

Além de mim, indicou esse restaurante: Ludmila Nascimento.

11) Caranguejo do Assis (K)

Caranguejo do Assis

Foto: Divulgação

O Caranguejo do Assis – que começou com um pequeno bar na Praia de Itaparica Itapoã, em Vila Velha – é hoje um dos mais famosos e movimentados restaurantes de frutos do mar da cidade, com um senhor espaço kids. Ele fica no andar superior e conta com a supervisão de 3 recreadoras, além de câmera de monitoramento. Tem brinquedão, x-box, piscina de bolinhas, totó, oficina de desenhos, TV’s com filmes infantis, área baby separada e até um viveiro.

Caranguejo do Assis

Foto: Divulgação

Mas tantos atrativos tem um custo. O restaurante cobra R$7,00 por criança, sem limite de tempo.

Endereço: Av. Estudante José Júlio de Souza, 290, Praia de Itaparica, Vila Velha-ES

Telefone: (27) 3289-8486

Horário de funcionamento: segunda a domingo, das 11:00 a 01:00

Indicaram esse restaurante: Ana Rothen e Diana Carvalhinho.

SERRA

Screenshot_1

12) Bacana (L)

A casa que nasceu na Mata da Praia abriu uma filial bem mais democrática na Serra: ali as crianças também são benvindas. O espaço kids tem brinquedão, pula-pula, piscina de bolinhas, vídeo-games, mesa para pintar. Tudo acompanhado por monitores.

Endereço: Av. José Martins Rato, 329, Bairro de Fátima, Serra-ES

Telefone: 27 3324 8707

Horário de funcionamento: segunda a sexta, de 17:30 a 00:00; sábado, de 11:00 a 00:00; e domingo, de 11:00 a 23:00

Além de mim, indicaram esse restaurante: Gabriela Valente e Ludmila Nascimento.

Screenshot_1

13) Ninho da Roxinha (M)

Eu já falei sobre o Ninho da Roxinha nesse post. A ida até lá vale pela localização e pela vista privilegiada.

Ninho da Roxinha

E vale também pelos atrativos para a criançada: uma boa área verde, playground e uma espécie de curral onde se criam avestruzes.

Endereço: Rua do Limão, Nova Almeida, Serra-ES

Telefone: 27 3253 1516 e 3253 1508

Horário de funcionamento: segunda a sábado, de 11:00 a 23:00; domingo, de 11:00 a 17:00

Além de mim, indicou esse restaurante: Gabriela Valente.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter e Instagram

Curta o “Rotas” no Facebook

18
jul
2014

Santa Teresa: onde comer?

A gastronomia de Santa Teresa foi mais uma grata surpresa pra mim. Confesso que não esperava encontrar tantas e tão boas opções de restaurantes e cafés numa cidadezinha tão fora do mainstream turístico do nosso Estado. Contrariando a minha impressão inicial, nós comemos muito bem por lá.

A seguir eu listo os estabelecimentos que eu visitei e que eu recomendo a visita.

Mapa Restaurantes Santa Teresa

26
out
2013

Doca 183: o seu melhor lanche ou happy hour no Centro de Vitória

Doca 183

Já não é segredo pra ninguém o meu entusiasmo com o Centro de Vitória. Nesse post eu já deixei bem claro que o meu maior sonho é ver o cenário histórico-degradado do Centro de Vitória pulsando como uma bela e grande zona cultural e boêmia da nossa capital. O que eu não contava era que a gente fosse caminhar a passos largos para que esse sonho se tornasse realidade.

O último passo nessa direção foi dado pelo Doca 183. Trata-se de um bar, meio café, meio bistrô, que inaugurou há pouco mais de 1 mês na Rua Gama Rosa, a mesma do Casa de Bamba (sobre o qual eu ainda não tive a oportunidade de falar). Só a presença dessas 2 casas já seria suficiente para eu eleger a Gama Rosa uma espécie de miolo da tal zona boêmia que ainda há de surgir.

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital