placas instagram foursquare googleplus feed facebook twitter
19
jun
2017

Santa Cruz: o passeio de escuna pelo Rio Piraqueaçu

No último post que eu publiquei aqui no Rotas, eu apresentei algumas boas razões para você incluir Aracruz no seu radar turístico ao decidir vir para o Espírito Santo. Como eu disse, a cidade “abriga um dos mais belos e mais preservados conjuntos de praia do litoral capixaba“.

Eu ainda pretendo explorar um pouco mais a cidade para, quem sabe?, organizar uma série especial com todas as informações e dicas que você precisa para visitá-la (tal qual eu fiz com Itaúnas, Pedra Azul e Santa Teresa). Enquanto isso não acontece, vale a pena apresentar, pelo menos, o passeio mais famoso da região: o passeio de escuna pelo rio Piraquê-Açú, na vila de Santa Cruz.

Seja para quem planeja um bate-volta a partir de Vitória (como eu recomendei aqui), seja para quem visita a cidade de Aracruz, o passeio de escuna pelo rio Piraquê-Açú deve estar no seu roteiro. É um passeio bem bonito e ótimo para se fazer em grupo, especialmente quando se tem crianças.

Para quem não sabe, Santa Cruz já foi um porto fluvial importante do Espírito Santo e uma das portas de entrada dos imigrantes italianos. O rio Piraquê-Açú, que deságua ali, nasce em Santa Teresa e, até hoje, é navegável em quase toda a sua extensão.

Nesse passeio, a gente sobe pela foz do Rio Piraquê-açú por cerca de 30 minutos até o ponto onde há uma plataforma flutuante (chamada de “bar flutuante” pela tripulação). O cenário, depois que a vila de Santa Cruz é deixada pra trás, vai se tornando uniforme, tomado pelos mil e um tons de verde da vegetação do manguezal nas margens.

Temos aí o maior manguezal do Espírito Santo e um dos maiores do Brasil. A paisagem é belíssima, com a natureza praticamente intocada.

Na plataforma flutuante, a escuna atraca para que os passageiros possam tomar banho no rio. É a hora da farra.

Meia hora depois, a embarcação segue pelo mesmo percurso até o fim do passeio.

O passeio tem duração de 2 horas. Embarca-se e desembarca-se em 2 pontos: no píer anexo ao Restaurante Mocambo, na vila de Santa Cruz; ou, do outro lado da foz do rio, no início da Praia de Coqueiral, com acesso pela estradinha de terra que fica bem ao lado da entrada do Coqueiral Praia Hotel, na Rodovia ES 010.

Píer do Restaurante Mocambo

A principal vantagem de se embarcar no primeiro ponto é começar e terminar o passeio dentro da vila de Santa Cruz, dispensando o deslocamento de carro que a primeira opção exige (a Praia da Sauna fica na margem oposta do rio, em frente à vila de Santa Cruz).

Por sua vez, a vantagem de se embarcar no segundo ponto é pegar a escuna vazia, garantindo seu lugar no espaço que você achar mais interessante. O “interessante” aqui é totalmente subjetivo. A maioria prefere a frente por causa das fotos a la Titanic. Mas, exatamente por isso, é onde fica mais tumultuado. Eu, ao contrário, preferi ficar na parte de trás da embarcação, que é coberta e tem mais assentos.

Seja qual for a sua opção, eu recomendo fortemente que você encaixe – na ida ou na volta do passeio – um almoço no Restaurante Mocambo. Além da vista privilegiada para a foz do rio Piraquê-açú, o Mocambo serve uma das melhores moquecas capixabas do Estado.

Para completar o dia de passeio pela região, veja as dicas que eu dou nesse post.

Informações úteis:
1) Quem opera o passeio de escuna é a empresa “Princesinha do Mar”, que pode ser contactada pelos telefones 27 999 851 964 ou 27 3250 1941.
2) Em abril de 2017, o preço do passeio por pessoa era R$20,00. Crianças até 5 anos não pagam.
3) Os passeios saem de 2 em 2 horas, começando a partir das 10:00 e terminando às 16:00. No entanto, para confirmar a saída, exige-se no mínimo 10 passageiros. Por isso, é bom ligar antes para sondar a saída.
4) Somente bebidas são vendidas na embarcação. Nada impede, porém, que você leve o seu próprio lanche.
5) O uso de filtro solar e repelente é fortemente recomendado.
6) Como todo passeio de escuna, tem música ambiente durante todo o trajeto. Se a música é boa ou não, vai depender do seu gosto. 😉

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter e Instagram

Curta o “Rotas” no Facebook

18
maio
2016

Santa Teresa: a doce terra dos colibris… e do jazz!

Santa Teresa

Quem me acompanha aqui no Rotas já sabe o carinho que tenho por Santa Teresa, a nossa “doce terra dos colibris“. Por todos os motivos que eu mencionei aqui, ela se tornou um dos meus recantos favoritos aqui no Espírito Santo e o favorito nas montanhas capixabas.

Pra falar a verdade, nem precisava de tantos motivos para eu gostar de Santa Teresa. Tivesse só esse e ela já ganharia o meu amor eterno.

Santa Teresa

O balé dos colibris na varanda da casa onde viveu  o ecologista capixaba (e teresense!) Augusto Ruschi é daquelas cenas que eu não canso de (re)ver.

E como se não bastassem todos os motivos que eu já te dei para conhecer – e amar! – Santa Teresa, nesse final de semana você terá mais um: o Festival Internacional de Jazz e Bossa (Santa Jazz). Nos dias 20, 21 e 22 de maio, a cidade se transformará na capital estadual do jazz, com uma programação intensa de shows de artistas nacionais e internacionais.

Santa Jazz

Essa já é a quinta edição do Santa Jazz, que virou tradição na cidade. Para esse ano, a prefeitura espera um movimento de 15 a 20 mil pessoas durante o evento, o que representa praticamente o fluxo mensal de turistas. Daí você vê a importância do evento para o turismo e a economia da cidade.

Eu sei que, a essa altura do campeonato, já deve ser praticamente impossível achar vaga nas poucas pousadas da cidade (algumas delas eu mencionei aqui). Para quem não abre mão do pernoite, existem outras 2 opções: alugar uma casa ou um quarto na casa de um morador da cidade (mais informações na Secretaria de Turismo e Cultura da cidade pelo telefone: 27 3259-1344 / 2357) ou se hospedar nas cidades vizinhas – Santa Leopoldina e Santa Maria de Jetibá.

Mas o bate-volta também não deve ser descartado. Se Santa Teresa já é um bate-volta redondinho a partir de Vitória em dias comuns (como eu sugeri aqui), imagina num final de semana desses? Só é preciso muito – mas MUITO – cuidado com a estrada na volta pra casa! 😉

Santa Teresa

Os shows acontecerão no Parque de Exposições, que fica na entrada da cidade. Serão 2 palcos: o principal e o palco Fames, onde acontecerão apresentações da Faculdade de Música do Espírito Santo. Os ingressos para os shows noturnos podem ser comprados pela internet (clique aqui) ou nos estabelecimentos credenciados (confira relação aqui). Para os shows diurnos (sábado e domingo), a entrada é gratuita.

Entre as atrações do palco principal desse ano estão: Mark Lambert & Quinteto Radio Swing (EUA/Brasil); o guitarrista angolano Nuno Mindelis, considerado um dos melhores do mundo; Shawn Holtcom e sua banda The Teardrops Blues BandFrancis Hime e sua esposa Olivia homenageando Vinícius de MoraesA Cor do Som; Mauro Senize e Gilson PeranzzettaBrasilidade Geral e Rosa Passos; e Vitor Biglione. Confira a programação completa aqui.

Santa Teresa

Então, já sabe. Nesse final de semana o balé dos colibris de Santa Teresa vai ganhar uma trilha sonora ainda mais especial. Não dá pra perder!

Para quem já garantiu a estadia e vai aproveitar o final de semana na cidade, vale a pena conferir a nossa Série Especial sobre Santa Teresa com dicas de atrações e restaurantes.

_______________________________

Siga o “Rotas” no Twitter e Instagram

Curta o “Rotas” no Facebook

21
jan
2015

5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória

Pedra Azul

Pedra Azul

Do mar à montanha em 40 minutos”. Um dos motes da propaganda oficial do Governo do Estado do Espírito Santo faz realmente todo o sentido. Em um estado de distâncias tão curtas e cheio de diversidades geográficas e culturais, é muito fácil rechear a sua viagem com passeios super diferentes um do outro. Você pode tomar um banho de mar pela manhã e experimentar o melhor da culinária italiana nas montanhas capixabas à tarde, curtindo um clima bem mais agradável. Ou então, conhecer o legado da nossa colonização à beira-mar e, ainda, fazer um passeio de escuna pelas águas de um rio e visitar uma reserva indígena em Aracruz.

Para facilitar a sua vida, nesse post eu vou dar 5 sugestões de bate-volta redondinhos a partir de Vitória. Todos estão a 1 hora (no máximo!!!) de viagem da capital. Tem praia, tem montanha, tem passeio cultural e gastronômico. Basta que você escolha aquele que mais se identifica com o seu perfil de viajante.

Confira dicas de hospedagem em Vitória aqui

Continuar Lendo…

2012. Todos os direitos reservados ao blog Rotas Capixabas. Qualquer reprodução indevida de conteúdo é expressamente proibida. digital